Sob protestos, Câmara argentina aprova projeto de refinanciamento de dívida com FMI

País possui uma dívida de US$ 45 bilhões com a entidade internacional; medida agora vai à votação no Senado

Votação ocorreu após uma extensa discussão durante a noite
Votação ocorreu após uma extensa discussão durante a noite REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Buenos Aires, 11, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Legisladores da Câmara dos Deputados da Argentina aprovaram, nesta sexta-feira (11), por 202 votos a 37, com 13 abstenções, o projeto formulado em conjunto com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para refinanciar a dívida de US$ 45 bilhões do país com a entidade, desenhado para evitar um turbilhão econômico, mas que dividiu membros do partido do presidente Alberto Fernández, o Frente de Todos.

A votação ocorreu após uma extensa discussão durante a noite, enquanto protestantes atiraram pedras e atearam fogo em frente ao Congresso argentino, lembrando de acordos passados com o FMI visto por eles como desastrosos.

A medida agora vai à votação no Senado do país, antes de passar por avaliação final do conselho do FMI, caso aprovada pela casa. “É o melhor acordo que poderia ser alcançado”, disse o chefe da Comissão de Orçamento e Finanças da Câmara dos Deputados argentina, Carlos Heller.

Mais Recentes da CNN