SpaceX, de Elon Musk, é agora um “unicórnio” de US$ 46 bilhões

Recentemente a companhia se tornou a primeira empresa privada da história a enviar astronautas para a órbita da Terra

Startup Axiom Space usará nave Crew Dragon, da SpaceX, para enviar turista à Estação Espacial Internacional
Startup Axiom Space usará nave Crew Dragon, da SpaceX, para enviar turista à Estação Espacial Internacional Foto: SpaceX/Divulgação

Jackie Wattles,

do CNN Business, em Nova York

Ouvir notícia

A SpaceX, companhia liderada por Elon Musk que recentemente se tornou a primeira empresa privada da história a enviar astronautas para a órbita da Terra, está transformando seus sucessos em muito dinheiro.

A empresa concluiu há pouco uma rodada de financiamento de US$ 1,9 bilhão, uma das maiores arrecadações individuais de fundos já feita por qualquer companhia privada, de acordo com registros públicos e dados reunidos pela empresa de dados de capital de risco Crunchbase. Com o aporte, a avaliação geral da SpaceX subiu para US$ 46 bilhões. A notícia foi revelada pela Reuters.

A SpaceX agora ocupa o terceiro lugar em uma lista dos chamados “unicórnios” –  startups privadas com avaliações a partir de um US$ 1 bilhão – de acordo com dados da empresa de análise de capital de risco CB Insights. As duas únicas startups com valor superior à SpaceX são duas gigantes chineses da tecnologia: a empresa de carro por aplicativos Didi Chuxing e a empresa-mãe do TikTok, a ByteDance.

Leia também:
Há 10 anos, a Tesla realizava seu IPO; veja as previsões de Elon Musk na época
SpaceX: Cápsula com astronautas da Nasa pousa de volta à Terra; assista
Após lançamento de foguete da SpaceX, entenda a corrida espacial comercial

Avaliar empresas de capital fechado é uma questão de adivinhação, já que geralmente elas não são obrigadas a compartilhar publicamente suas informações financeiras e negociam novos investimentos a portas fechadas. A SpaceX não divulga seus dados financeiros ao público.

Recentemente, os especialistas de Wall Street passaram a se mostrar cada vez mais céticos em relação aos unicórnios que inflam seus valores enquanto empresas de capital fechado e depois fracassam quando entram no mercado de ações. 

Mas, mesmo com a avaliação surpreendente da SpaceX, alguns analistas e investidores de Wall Street argumentam que a empresa ainda está subvalorizada.

Os analistas do Morgan Stanley, por exemplo, escreveram em um relatório no mês passado que a SpaceX poderá valer até US$ 200 bilhões se seu projeto experimental de internet via satélite, Starlink, funcionar como planejado. O banco disse que sua estimativa final mais baixa para o valor da SpaceX é de cerca de US$ 50 bilhões. 

E os outros empreendimentos da SpaceX (incluindo o lançamento de astronautas e carga para a NASA, a construção de protótipos maciços para um futuro foguete de Marte e o lançamento de satélites para uso militar dos EUA) dão aos investidores motivos de sobra para pedir uma chance de comprar um pedaço da SpaceX. A opinião é de Chad Anderson, investidor da SpaceX e CEO da investidora Space Angels.

Anderson disse que a Space Angels participou da última rodada de financiamento da SpaceX, aumentando sua participação anterior na empresa. No entanto, ele não quis revelar quanto sua empresa investiu.

Segundo o investidor, quando a SpaceX levanta dinheiro, normalmente há mais compradores dispostos do que oportunidades de investir, e isso aconteceu durante a rodada de financiamento mais recente. Isso mantém os investidores existentes felizes porque indica que suas participações na SpaceX continuarão subindo de valor.

Mas, a menos que os investidores vendam sua parte para outros capitalistas de risco, ainda não há muita oportunidade de ganhar dinheiro real com um investimento na SpaceX. Musk disse que não planeja listar a empresa na bolsa de valores tão cedo.

Embora a presidente da empresa, Gwynne Shotwell, tenha dito no início deste ano que a Starlink pode um dia ser desmembrada e aberta como uma empresa separada, isso poderia oferecer aos investidores uma saída atraente de seus investimentos.

Anderson acrescentou que a SpaceX ainda não está tendo lucro, sobretudo porque gasta grandes somas investindo em novos ramos de atuação, incluindo o negócio de internet Starlink e seus protótipos de foguete para Marte, apelidado de Starship Mars. Tal constatação amplia a questão da avaliação da SpaceX – se ela é de fato muito alta.

“Acho que há argumentos para os dois lados”, afirmou o consultor. “E definitivamente há muita gente que odeia ou está pessimista em relação à SpaceX”.

A SpaceX tem muito a provar: seu serviço de internet Starlink, que atualmente está em teste beta, precisará se mostrar acessível e confiável o suficiente para atrair uma base de clientes significativa. O foguete Starship Mars também precisará demonstrar capaz de lançar satélites e, talvez, levar passageiros a preços que tornem seu desenvolvimento um investimento valioso.

No entanto, a SpaceX tem um padrão de provar que seus críticos estão errados: primeiro construindo o primeiro foguete comercial a alcançar a órbita; depois, desenvolvendo uma tecnologia de foguete reutilizável; e, mais recentemente, lançando com segurança dois astronautas da NASA ao espaço.

É por isso que, diz Anderson, não é aconselhável apostar contra a SpaceX.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN