Subsidiária do Google na Rússia vai pedir falência após apreensão de conta bancária

Empresa comunicou que as autoridades locais confiscaram sua conta bancária na Rússia, impossibilitando a continuidade das operações no país

Da Reuters

Ouvir notícia

A subsidiária do Google na Rússia planeja declarar falência depois que as autoridades confiscaram sua conta bancária, impossibilitando a continuidade das operações, disse um porta-voz da empresa nesta quarta-feira (18).

A companhia está sob pressão no país do leste europeu há meses por não excluir conteúdo que Moscou considera ilegal e por restringir o acesso a algumas mídias russas no YouTube.

“A apreensão das autoridades russas da conta bancária do Google tornou insustentável o funcionamento de nosso escritório na Rússia, incluindo empregar e pagar funcionários, pagar fornecedores e cumprir outras obrigações financeiras”, disse um porta-voz do Google. “O Google Rússia publicou um aviso de sua intenção de declarar falência”, acrescentou.

Um canal de TV sancionado, de propriedade de um empresário russo, disse em abril que oficiais de justiça apreenderam 1 bilhão de rublos (US$ 15 milhões) do Google por sua falha em restaurar o acesso à sua conta do YouTube, mas esta é a primeira vez que a gigante de tecnologia dos EUA diz que seu sua conta em banco foi bloqueada.

O Google não confirmou imediatamente se foi a apreensão desses fundos que levou à sua intenção de declarar falência ou se outras apreensões ocorreram.

O banco de dados do Serviço Federal de Oficiais de Justiça da Rússia listou duas apreensões desde meados de março, sem especificar os valores, além de outras multas e taxas de execução.

O serviço confirmou que havia apreendido ativos e propriedades do Google.

Uma nota publicada no registro oficial da Rússia, Fedresurs, na quarta-feira, disse que a subsidiária do Google estava “enviando um aviso da intenção de se declarar insolvente (falida)”.

“Desde 22 de março de 2022, prevê a sua própria falência e incapacidade de cumprir as suas obrigações pecuniárias, exigências de indemnizações e (ou) a remuneração de trabalhadores e (ou) a obrigação de realizar pagamentos obrigatórios dentro do prazo prescrito”, disse a nota.

O Google, que interrompeu a grande maioria de suas operações comerciais na Rússia após Moscou enviar dezenas de milhares de tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro, disse que seus serviços gratuitos, incluindo Search, YouTube, Gmail, Maps, Android e Play, permaneceriam disponível para usuários russos.

A Rússia afirmou um dia antes que não planeja bloquear o YouTube no país, apesar de repetidas ameaças e multas, reconhecendo que tal medida provavelmente prejudicaria os usuários russos e, portanto, deveria ser evitada.

Mais Recentes da CNN