Tirar print de ofertas e pesquisar pode prevenir fraudes na Black Friday, diz especialista

Advogada especializada em direito do consumidor dá conselhos para se evitar golpes ou fraudes em compras online durante dia de ofertas

Produzido por Vinícius Tadeu*da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, a advogada especializada em direito do consumidor Maria Inês Dolci deu dicas para os compradores evitarem fraudes e golpes na Black Friday. Em 2021, o dia de ofertas e promoções acontece em 26 de novembro.

Segundo a especialista, as pessoas estão mais atentas aos riscos da Black Friday, mas ainda existem muitos problemas que podem atrapalhar as compras de quem procura produtos com preços mais baixos. Para evitar transtornos, ela recomenda que ofertas muito atrativas sejam salvas por meio de prints — “foto” da tela — do celular ou computador.

“O que pode ser uma grande oportunidade pode gerar problemas. Por isso, o consumidor precisa, antes de realizar a compra, verificar suas prioridades, comparar preços, modelos, as funções dos produtos mais caros, escolher sempre lojas conhecidas indicadas por amigos e parentes, e não gastar o que não tem para comprar o que não se precisa”, recomendou Maria Inês.

“Lembrando que compras online tem que sempre tirar um print da tela da oferta, já que nem sempre o preço final pode ser aquele que você viu primeiro”, completou.

Além do print de ofertas, ela recomenda que os clientes confirmem se a loja online é, de fato, oficial. “Não dê seus dados pessoais sem saber se aquela loja realmente está vendendo o que tem e se está estabelecida no mercado. Os golpes são muitos e tem que se tomar cuidado na hora de comprar.”

Outras dicas da especialista são confirmar a data de entrega e conferir se a loja disponibiliza a quantidade dos produtos em estoque para que não sejam vendidos itens que já estão em falta.

“Muitos produtos, aqui no Brasil, não tem a garantia do Código de Defesa do Consumidor se adquiridos no exterior. Por isso, tem que tomar cuidado com compras em sites estrangeiros”, disse.

A advogada também aconselhou evitar compras por impulso na Black Friday, principalmente se isso for comprometer um dinheiro necessário para o início do ano.

“Compra por impulso nunca é uma boa prática porque você vai comprar algo que não vai usar, vai gastar dinheiro sem necessidade. Mesmo que se tenha o 13º, esse dinheiro deve ter prioridade para pagar cartão de crédito, guardar um pouco para as férias ou até para pagar dívidas, que é o mais importante”, afirmou.

Mais Recentes da CNN