Uso de termelétrica deixará energia mais cara por 3 a 5 anos, diz especialista

À CNN, Roberto Kishinami comentou o que o governo poderia fazer para reduzir a maior crise energética dos últimos vinte anos

Produzido por Juliana Alvesda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O coordenador Sênior no Instituto Clima e Sociedade, Roberto Kishinami, afirmou, em entrevista à CNN nesta quinta-feira (30), que o acionamento das termelétricas vai encarecer a energia por um período de três a cinco anos no país. Isso porque, explicou ele, há um processo de retroalimentação.

“Num primeiro momento, a energia mais cara da termelétrica encarece a energia para todo mundo, e isso tem um impacto na economia de encarecer todos os produtos e serviços e, portanto, gerar um índice grande de inflação”, argumentou.

“Esse índice de inflação, por sua vez, é o reajuste mínimo das tarifas de energia elétrica.”

Questionado sobre o que pode ser feito a curto prazo pelo governo brasileiro para reduzir a maior crise energética dos últimos vinte anos, Kishinami disse ser fundamental equilibrar tanto a oferta quanto a demanda de energia.

“Com o quadro de escassez que estamos vivendo, não há forma de atuar corretamente só com a oferta maior de energia, principalmente com a energia cara que vem das termelétricas, que já produziu uma inflação.”

Na avaliação do especialista, o Brasil deveria usar fontes de energia mais baratas e que podem ser implementadas mais rapidamente, como a eólica e a solar.

Mais Recentes da CNN