Valor da cesta básica tem aumento em 16 de 17 capitais no mês de outubro

Apenas Recife registrou queda, de acordo com Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

Dieese: Cesta básica fica mais cara em 16 de 17 capitais no mês de outubro
Dieese: Cesta básica fica mais cara em 16 de 17 capitais no mês de outubro setores de insumos agropecuários, produção de alimentos e de medicamentos genéricos.

Gabriel Fernedada CNN

Ouvir notícia

O valor da cesta básica subiu em 16 de 17 capitais no mês de outubro, em comparação com setembro, segundo a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o levantamento, Vitória (ES) teve o maior aumento, com 6%, seguido por Florianópolis (SC), com 5,71%, e Rio de Janeiro, com 4,79%. A única das 17 capitais que participam do estudo que teve queda no valor da cesta básica foi Recife, onde houve decréscimo de 0,85%. Se considerado o valor bruto, Florianópolis tem a cesta mais cara do Brasil, no valor de R$ 700,69. São Paulo (693,79) e Porto Alegre (691,08) aparecem na sequência.

Todos as 17 cidades tiveram aumento no preço na somatória dos últimos 12 meses, ou seja, ao comparar os valores em outubro de 2020 e outubro de 2021. Se forem contabilizados os números desde janeiro de 2021, todas as capitais também tiveram aumentos.

Entre os produtos que mais se destacaram, o café e o tomate subiram em 16 capitais pesquisadas, enquanto o açúcar registrou elevação de preço em 15 delas.De acordo com estimativa do Dieese, tendo como base a cesta mais cara em Florianópolis, o salário-mínimo deveria ser de R$ 5.886,50, ante o valor de R$ 1.100 que está em vigor.

Mais Recentes da CNN