Virgin é investigada por mudança de curso em viagem espacial de Richard Branson

Foguete voou fora do curso autorizado por um minuto e 41 segundos. Empresa está proibida de promover voos até o fim da investigação

Divulgação/Virgin Galctic

Jackie Wattlesdo CNN Business

Ouvir notícia

A agência que regula a aviação dos Estados Unidos (Federal Aviation Administration, ou FAA) confirmou na noite de quarta-feira (1º) que está investigando o voo espacial de Richard Branson. O órgão disse que o foguete operado por sua empresa, a Virgin Galactic, desviou do curso durante sua descida.

A declaração da FAA veio logo após Nicholas Schmidle, da revista New Yorker, informar que luzes de advertência foram acesas no painel da espaçonave SpaceShipTwo, sinalizando que a trajetória do veículo foi desviada durante o voo. Schmidle também revelou a existência da investigação da FAA.

A Virgin Galactic não terá permissão para realizar outro voo espacial até que a investigação da FAA seja concluída. A empresa disse anteriormente que estava entrando em um período sem voos por decisão própria, já que trabalha para restaurar parte de seu hardware.

No entanto, na manhã de quinta-feira (2), a empresa indicou que queria fazer o próximo voo em outubro. Não está claro se esse projeto continuará.

“A Virgin Galactic não pode voar com o SpaceShipTwo até que a FAA aprove o relatório investigativo final do incidente ou determine que os problemas relacionados ao incidente não afetarão a segurança pública”, de acordo com um comunicado da FAA.

As ações da empresa caíram 4% durante o pregão desta quinta-feira.

O porta-voz da Virgin Galactic, Barney Gimbel, confirmou em um e-mail enviado para o CNN Business que a trajetória de voo “mudou”, acrescentando que “quando o painel indicou que os pilotos deveriam modificar a trajetória, eles seguiram o treinamento que tiveram”.

“O Unity 22 foi um teste seguro, que obedeceu aos procedimentos de voo e protocolos de treinamento. Quando o veículo enfrentou ventos que mudaram sua trajetória, os pilotos e sistemas monitoraram a situação para garantir que a trajetória se mantivesse dentro dos parâmetros da missão”, disse a empresa.

Mas, em uma resposta à investigação da FAA, a Virgin também reconheceu que o voo que a espaçonave desceu abaixo da altitude aprovada por um minuto e 41 segundos.

(Esta matéria foi traduzida. Clique aqui para ler a versão original, em espanhol)

Mais Recentes da CNN