Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Agronegócio e ambiente é um binômio em nosso estado”, diz governador do MS

    Eduardo Riedel destaca atração de mais de R$ 5 bilhões em novos investimentos

    Iuri Pittada CNN

    São Paulo

    Após a realização do MS Day, evento para apresentar o estado a empresários no centro financeiro do país, a gestão do governador do Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB), anunciou a atração de R$ 5,5 bilhões em novos investimentos privados, principalmente em atividades voltadas ao desenvolvimento sustentável.

    “Eu não separo o desenvolvimento do agro da sustentabilidade. É um binômio”, diz o governador, em entrevista exclusiva à CNN.

    “O Brasil conquistou uma capacidade de desenvolver agro com técnica e metodologia sustentáveis. Os setores de bioenergia e florestas plantadas são exemplos disso.”

    Entre os principais investimentos futuros em Mato Grosso do Sul está uma nova unidade de produção de etanol produzido a partir do milho. Também há forte atuação nos setores de papel e celulose e alimentos.

    Embora o estado tenha conseguido ampliar sua capacidade de investimento nos últimos anos, chegando a cerca de 12,5% da receita corrente líquida (RCL), Riedel destaca a importância de uma atuação conjunta entre o setor público e a iniciativa privada, por meio de concessões e PPPs.

    “Nossa boa condição fiscal e de investimentos cria um pipeline que também é atrativo para as empresas”, avalia.

    Além da busca por novos investimentos no estado, Mato Grosso do Sul tem como meta até 2030 chegar à emissão neutra de carbono, um objetivo factível, segundo o governador.

    “Faz parte dos nossos esforços em garantir a preservação dos nossos biomas (pantanal e cerrado). Vejo um tripé que se constitui em biodiversidade, balanço de carbono e disponibilidade de água.”

    Oposição responsável

    Filiado há mais de 20 anos ao PSDB, Riedel exerce pela primeira vez um mandato eletivo – antes, foi secretário de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul e vice-presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), em paralelo à atuação no setor privado. Para ele, o partido segue “leal a seus princípios” e atua “a favor do Brasil” neste mandato do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    “O presidente do partido, Eduardo Leite (governador do Rio Grande do Sul), defende uma postura que eu concordo, com foco em desenvolvimento, inclusão e capacidade de dar respostas práticas à sociedade”, afirma.

    “Quando governos têm agenda coincidente e convergente, vamos apoiar a pauta. Fazer oposição responsável, e não oposição pela oposição, ainda mais neste clima político polarizado.”

    Veja também: Conexão Agro: Brasil faz negociações em viagem para a Ásia