Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Aneel mantém conta de luz sem cobrança extra em outubro

    As condições favoráveis de geração hidrelétrica têm mantido a sinalização verde desde abril de 2022

    Reservatórios das usinas hidrelétricas cheios não necessita acionar fontes mais caras, como as termelétricas
    Reservatórios das usinas hidrelétricas cheios não necessita acionar fontes mais caras, como as termelétricas Getty Images

    Diego Mendesda CNN

    São Paulo

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou nesta sexta-feira (29/9) que a bandeira tarifária que vai vigorar no mês de outubro será a verde, ou seja, sem custos extras nas contas de energia elétrica.

    As condições favoráveis de geração hidrelétrica têm mantido a sinalização verde desde abril de 2022.

    Com os reservatórios das usinas hidrelétricas cheios, por causa das chuvas, não há necessidade de acionar fontes mais caras, como as termelétricas.

    “A energia gerada está mais barata. Tem chovido mais nos reservatórios, e aí podemos contar com as hidrelétricas, que possuem um custo de geração mais baixo do que outras fontes. Isso sem falar do avanço das usinas eólicas e solares, sobretudo no Nordeste do País”, afirmou o diretor-geral da Agência, Sandoval Feitosa.

    A Aneel informou que atualiza constantemente suas projeções de acionamento das bandeiras tarifárias e, com os dados apurados até o momento, a expectativa é de manter a bandeira verde até o final do ano.

    A bandeira verde é válida para todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional (SIN), malha de linhas de transmissão de energia elétrica que conecta as usinas aos consumidores.

    Como era antes das Bandeiras?

    As variações que ocorriam nos custos de geração de energia, para mais ou para menos, eram repassados até um ano depois, no reajuste tarifário seguinte.

    O que significa cada cor e quanto custa?

    • Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;
    • Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,01874 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;
    • Bandeira vermelha — Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,03971 para cada quilowatt-hora kWh consumido.
    • Bandeira vermelha — Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,09492 para cada quilowatt-hora kWh consumido.