Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Apesar de resistências da equipe econômica, Lula sinaliza que deve manter indicação petista para comando do IBGE

    De acordo com aliados do presidente da República, nome do economista Márcio Porchmann é o mais cotado para o posto, ocupado interinamente desde janeiro. Instituto é ligado ao Ministério do Planejamento

    Tainá Falcãoda CNN

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve manter a indicação do economista Márcio Pochmann para a presidência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    O nome tem apoio do PT, mas enfrenta resistências de uma ala do governo. Entre os integrantes contrários estão o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e a ministra do Planejamento, Simone Tebet (MDB).

    De acordo com fontes ouvidas pela CNN, a escolha foi comunicada por Lula durante reunião com Tebet na segunda-feira (24). Oficialmente a ministra nega que tenha tratado do assunto no encontro, mas auxiliares do presidente afirmam, inclusive, que ela não teria reagido negativamente ao ser informada pela decisão.

    O economista foi presidente do Instituto de Pesquisas Especiais Aplicadas (Ipea) entre 2007 e 2012 e, mais recentemente, presidiu a Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT e ao Instituto Lula. A CNN apurou que a indicação partiu de Paulo Okamoto, amigo pessoal do presidente da República. Se confirmado na função, Pochmann pode assumir o cargo no IBGE em agosto, após a divulgação do Censo.

    Nos bastidores, Simone Tebet e técnicos do Planejamento refutam o nome de Pochmann para o cargo. A avaliação do grupo é que o economista não teve boa performance no Ipea.

    Fontes do Planalto relataram à CNN que para o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, Pochmann é visto com um integrante da ala mais radical do PT. Os críticos, nesse caso, apontam para um risco de aparelhamento político no IBGE e alegam que o Ipea foi conduzido por viés ideológico e político durante a gestão do economista.

    Apoio do PT

    A presidente do partido, Gleisi Hoffmann, com quem Haddad já protagonizou situações de confronto, saiu em defesa de Márcio Pochmann nas redes sociais e disse que estava na torcida pela indicação do economista.

    “Indicação de Marcio Pochmann para o IBGE é muito bem-vinda. Intelectual histórico, Pochmann tem um olhar aguçado para as pesquisas na área social, é um democrata que pensa um Brasil mais justo”, escreveu.

    Desde o início de janeiro, o IBGE está sendo presidido interinamente pelo diretor de pesquisas do Instituto, Cimar Azeredo Pereira.

    Veja também: Números do Desenrola