Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ArcelorMittal fecha parceria para investir US$ 800 milhões em parque eólico na Bahia

    Localizado no Complexo Babilônia, o projeto será responsável por fornecer 38% das necessidades totais de eletricidade da ArcelorMittal no Brasil em 203

    Também como parte do acordo, a siderúrgica firmará um contrato de compra de energia do empreendimento com prazo 20 anos
    Também como parte do acordo, a siderúrgica firmará um contrato de compra de energia do empreendimento com prazo 20 anos REUTERS/Carlos Jasso

    Por Letícia Fucuchima, da Reuters

    A siderúrgica ArcelorMittal e a geradora de energia renovável Casa dos Ventos anunciaram nesta terça-feira (18) a criação de uma joint venture para um parque de energia eólica na Bahia, com potência de 554 megawatts (MW) e investimentos totais de R$ 800 milhões.

    Localizado no Complexo Babilônia, em desenvolvimento pela Casa dos Ventos, o projeto será responsável por fornecer 38% das necessidades totais de eletricidade da ArcelorMittal no Brasil em 2030, representando um avanço importante de descarbonização do consumo elétrico da empresa no país.

    Segundo o comunicado das empresas, a unidade brasileira da ArcelorMittal terá participação de 55% na joint venture, com a Casa dos Ventos detendo os 45% restantes. O investimento total de capital por parte da ArcelorMittal será 150 milhões de dólares.

    Também como parte do acordo, a siderúrgica firmará um contrato de compra de energia do empreendimento com prazo 20 anos.

    O presidente-executivo da ArcelorMittal, Aditya Mittal, afirmou que o empreendimento vem em um momento de expansão da empresa no mercado brasileiro, com a aquisição da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), e de busca pelo cumprimento de metas de sustentabilidade.

    “Além de fazer sentido para o clima, este projeto faz sentido financeiro e operacional. Ele reduz os custos de eletricidade e fornece segurança energética para nossos negócios brasileiros e proporcionará retornos atraentes e consistentes no longo prazo”, disse o executivo, em nota.

    O projeto Babilônia está atualmente em fase de licenciamento ambiental e regulatório, com obras previstas para começar ainda este ano e comissionamento operacional em 2025.

    A transação entre as empresas já foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e será concluída nos próximos 15 dias.