Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    BC da Argentina mantém taxa de juros em 75%, apesar de escalada da inflação

    Em comunicado, a autoridade monetária atribuiu o avanço inflacionário aos aumentos de preços em categorias sazonais

    BC argentino acrescentou que continuará monitorando a evolução dos preços e do câmbio
    BC argentino acrescentou que continuará monitorando a evolução dos preços e do câmbio 08/01/2018. REUTERS/Agustin Marcarian

    André Marinho, do Estadão Conteúdo

    O Banco Central da Argentina confirmou, nesta quinta-feira (16) a manutenção dos juros nos níveis atuais, apesar da aceleração da inflação em janeiro.

    A decisão deixa o taxa nominal da chamada Letra de Liquidez (Leliq) de 28 dias em 75% ao ano, conforme já havia sido adiantado pela imprensa.

    Em comunicado, a autoridade monetária atribuiu o avanço inflacionário aos aumentos de preços em categorias sazonais (vegetais e turismo) e reguladas (transporte, gás e comunicação) e disse que o núcleo do indicador ficou praticamente estável.

    “Dessa forma, os juros permanecem em território positivo em termos reais, o que garante a proteção da poupança em pesos e contribui para manter ancoradas as expectativas cambiais, favorecendo o processo de desinflação”, ressalta a nota.

    O BC argentino acrescentou que continuará monitorando a evolução dos preços e do câmbio, com intenção de calibrar sua política e gestão de liquidez conforme necessária.