Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Brasil lidera investimentos internacionais em energia renovável, diz relatório da ONU

    Esse montante representa 11% do valor total investido para energia sustentável em economias emergentes

    Energia eólica renovável
    Energia eólica renovável Imagem: Pixabay

    Gabriel Garciada CNN

    Em Brasília

    Nos últimos sete anos, o Brasil emergiu como líder em investimentos internacionais no setor de energias renováveis e superou outras economias em desenvolvimento.

    De acordo com dados do relatório de investimentos da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), o Brasil recebeu 114,8 bilhões de dólares em investimentos entre 2015 e 2022.

    Esse montante representa 11% do valor total investido para energia sustentável em economias emergentes.

    Veja também: Consumo eficiente cresceu 12% desde 2005

    Entre as áreas nas quais o Brasil mais recebeu investimentos estão: pesquisa e desenvolvimento, baterias para carros elétricos e agricultura sustentável. O relatório também deu destaque para projetos sustentáveis brasileiros, entre eles; projetos de energia solar e o mercado de carbono.

    Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, 83% da matriz elétrica brasileira vem de fontes renováveis. A maior parte é produzida em usinas hidrelétricas, porém, a geração de energia eólica e solar vem ganhando destaque.

    Para os especialistas, este sucesso não apenas solidifica a posição do Brasil como uma potência em energias limpas, mas também serve como um exemplo para outras nações em desenvolvimento que buscam investir em sustentabilidade.

    “Temos vantagens competitivas na transição energética, na redução de emissão de CO2, que não podemos desperdiçar. Isso torna o Brasil um exemplo a ser seguido.”, afirmou Ivan Camargo, professor do Departamento de Engenharia Elétrica da UnB.

    Segundo o relatório das Nações Unidas, o investimento em energia sustentável triplicou desde a assinatura do Acordo de Paris, em 2015. Porém, a maioria deste investimento foi enviado para países desenvolvidos. “Países em desenvolvimento precisam de mais apoio”, concluiu o documento.

    Economias emergentes

    Entre as demais economias emergentes os destaques são Vietnã, Chile e Índia, conforme o relatório. O Vietnã recebeu um total de 106,8 bilhões de dólares em investimentos durante o mesmo período, consolidando-se como um competidor notável no cenário global de energias limpas.

    O Chile, conhecido por seu potencial solar e eólico, recebeu 84,6 bilhões de dólares. Enquanto a Índia, que frequentemente é associada a um rápido desenvolvimento industrial, recebeu 77,7 bilhões de dólares em investimentos.