Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Corte no juro deve ser comunicado sem ênfase pelo BC e pode “dividir” diretores, dizem especialistas

    Expectativa do mercado é de que BC sinalize início do ciclo de cortes para agosto

    Danilo Moliternoda CNN

    Em São Paulo

    Especialista consultados pela CNN apontam que o Banco Central (BC) deve sinalizar em seu comunicado desta quarta-feira (21) que começará a cortar a taxa básica de juros em agosto. Eles acreditam, contudo, que a indicação não deve ser “enfática”, mas que a sinalização virá a partir de uma “mudança de tom”.

    “Em geral, o BC não é tão específico no sentido de sinalizar que haverá um corte de juros na reunião seguinte. Provavelmente veremos a comunicação mudando um pouco, com o reconhecimento de que as expectativas de inflação melhoraram, de queda nos preços do atacado”, explica economista-sênior da LCA Consultores, Thais Zara.

    “Provavelmente veremos também uma redução no tom da indicação de que o BC pode retomar as altas [nos juros] se for necessário. Então acho que podemos ver uma modificação da comunicação nesta linha, um abrandamento do tom”, completa.

    O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC se reúne entre terça-feira (20) e quarta-feira (21) para definir a Selic. A expectativa do mercado é de que o banco não altere o percentual neste momento, mas indique em comunicado após a reunião que pode fazê-lo no próximo encontro — que ocorre em agosto.

    Economista-chefe do Banco Master e professor de economia da FGV-SP, Paulo Gala reitera a expectativa de corte. O especialista destaca, porém, que a próxima reunião do Copom, de agosto, pode “dividir” os membros do comitê em relação ao corte na Selic.

    “Talvez a gente tenha uma certa divergência daqui para frente em relação ao voto dos diretores. Podem não votar de maneira unânime, como tem feito. É provável que a gente tenha divisões nas próximas reuniões do Copom, a partir de agosto especialmente, que é quando muitos imaginam que ela vai começar a cair”, afirma.

    O Copom é formado por nove membros: o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e os outros oito diretores da instituição. Todos têm direito a voto para definição da taxa básica de juros.

    Comunicado do Copom

    O comunicado do Copom deve ser divulgado, como é de praxe, logo após o término das discussões sobre a Selic — o que deve ocorrer por volta das 18h30 da quarta-feira. Atualmente a taxa está em 13,75% ao ano.

    Alexandre Augusto Gaino, professor de economia da ESPM, explica que a comunicação do BC é relevante para fim de “previsibilidade da política monetária” — dando indicações sobre as decisões do BC aos diversos agentes do mercado.

    “O regime de metas de inflação permite uma comunicação bastante clara entre o BC e os agentes da economia. Isso é bastante útil porque ajuda a aumentar a previsibilidade futura da política monetária, auxilia na convergência em relação às expectativas da inflação e da taxa de juros”, indica.

    “Essa sinalização de recuo é importante para o retorno do estímulo à atividade produtiva, recuperação da demanda agregada dentro do país, e para voltar a uma tendência de crescimento mais forte e sustentável — claro, com a inflação controlada, dentro dos prognósticos futuros”, completa.