Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Gasolina está sendo negociada a um valor próximo do mínimo, diz Itaú BBA

    Instituição ressaltou ainda que o reajuste anunciado deverá compensar parcialmente o retorno dos impostos federais sobre os preços do combustível

    Amanda Sampaioda CNN

    Em São Paulo

    O Itaú BBA divulgou uma análise nesta quinta-feira (15) a respeito da redução do preço da gasolina. Para a instituição, a estatal passará a negociar o combustível num valor muito próximo do mínimo estimado pela instituição.

    Para os analistas, com base na cotação atual e na nova política de preços, o valor mínimo para o litro do combustível seria de R$ 2,64, número bem próximo aos R$ 2,66 anunciados.

    O Itaú BBA ressaltou ainda que o reajuste anunciado deverá compensar parcialmente o retorno dos impostos federais (Pis/Cofins) sobre os preços da gasolina. No entanto, destacou que ainda há um imposto federal de R$ 0,34/litro a ser reposto sobre os preços da gasolina na bomba, previsto para ocorrer no dia 1º de julho.

    A Petrobras anunciou uma redução no preço do litro da gasolina de R$ 0,13, queda de 5%, que entrará em vigor a partir de sexta-feira (16). O preço médio para as distribuidoras cairá para R$ 2,66, ante R$ 2,80.

    Nova política de preços

    A Petrobras anunciou em maio o fim da paridade internacional de preços do petróleo e combustíveis derivados. A estatal afirmou que a nova estratégia comercial foca em tornar os preços mais competitivos e que utilizará duas referências do mercado: o custo alternativo do cliente, como valor a ser priorizado na precificação, e o valor marginal para a empresa.

    Já no extinto Preço de Paridade de Importação (PPI), os preços praticados pela petroleira em seus produtos derivados de petróleo, como os combustíveis, acompanhavam diretamente as cotações internacionais, tanto do barril de petróleo quanto do dólar.