Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CVM dos EUA fez mais perguntas a Elon Musk sobre acordo com Twitter

    Agência questiona o bilionário sobre sua relação com a empresa de mídia social desde abril deste ano

    Clare Duffydo CNN Business

    A Comissão de Valores Mobiliários (SEC na sigla em iglês) continuou a examinar o investimento de Elon Musk e um acordo de US$ 44 bilhões para comprar o Twitter.

    Uma carta enviada pela SEC a Musk em 2 de junho inclui perguntas sobre o uso do Twitter pelo bilionário para discutir o acordo, incluindo seus tweets sobre o acordo ser pausado, de acordo com um documento regulatório desta quinta-feira (14).

    A agência questionou Musk anteriormente em uma carta de abril sobre seu aparente atraso em divulgar sua grande participação acionária no Twitter.

    Em 13 de maio, Musk twittou que o acordo com o Twitter estava “temporariamente suspenso” até o recebimento de informações do Twitter sobre como ele calcula o número de contas de bots em sua plataforma.

    Quatro dias depois, ele twittou novamente que a aquisição “não pode avançar” a menos que ele receba mais informações relacionadas à prevalência de bots e acusou a plataforma de mídia social de falsificar números de contas de spam em seus registros públicos.

    Em sua carta, a SEC disse que a palavra “não pode” no último tweet “sugere que Musk e suas afiliadas estão exercendo um direito legal sob os termos do acordo de fusão para suspender a aquisição do Twitter ou que não pretendem para concluir a aquisição.”

    No entanto, observa, o registro regulatório de Musk relacionado ao acordo não foi “alterado para refletir a aparente mudança material” imediatamente após o tweet.

    A agência pediu uma explicação sobre o pedido não ter sido atualizado, bem como “uma declaração clara sobre os planos ou propostas atuais de Musk com relação à aquisição do Twitter”.

    Em resposta à agência datada de 7 de junho, o advogado de Musk escreveu que Musk “não acredita” que o tweet exigisse uma atualização do arquivamento.

    “Apesar do desejo de Musk de obter informações para avaliar o potencial spam e contas falsas, não houve nenhuma mudança material nos planos e propostas de Musk em relação à transação proposta naquele momento”, afirma a carta de resposta de Musk.

    As notícias da última comunicação da SEC ocorrem depois que Musk decidiu na sexta-feira encerrar o acordo para adquirir o Twitter, acusando a empresa de violar o acordo ao não compartilhar dados suficientes sobre contas de bots.

    Na terça-feira, o Twitter entrou com uma ação alegando que Musk é o único a violar o acordo e pedindo a um tribunal para forçá-lo a seguir com a aquisição.

    Não está claro se as investigações da SEC teriam alguma influência no litígio, mas elas contribuem para a história difícil do CEO da Tesla com a agência.

    Em 2018, Musk twittou que estava “considerando abrir o capital da Tesla por US$ 420” e que tinha “financiamento garantido”, provocando um frenesi e enviando ações da montadora para US$ 371 de US$ 342.

    A SEC disse mais tarde que o financiamento não havia, de fato, sido garantido e processou Musk por enganar os investidores. Musk acabou fechando um acordo com a SEC por US$ 20 milhões e desistiu de seu cargo de presidente da Tesla.

    Musk tentou contestar uma cláusula desse acordo que exige que ele tenha certos tweets sobre a Tesla revisados ​​por advogados antes de publicá-los – e fez vários comentários depreciativos sobre a agência. Um juiz no início deste ano se recusou a derrubar o acordo, dizendo em sua decisão que nenhum dos “argumentos” de Musk é válido.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original