Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Depois de deflação de junho, Ministério do Planejamento ressalta “processo de desaceleração da inflação”

    Deflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou junho em 0,08%, após inflação de 0,23% em maio, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

    Taxa acumulada pela inflação no ano ficou em 2,87%
    Taxa acumulada pela inflação no ano ficou em 2,87% Foto: Marcos Santos/USP Imagens

    Fernanda Trisotto, do Estadão Conteúdo

    O Ministério do Planejamento afirmou, em nota, que “há um processo de desaceleração da inflação acumulada” em andamento, ao comentar a deflação de 0,08% em junho apontada pelo IPCA.

    “É fato que haverá um aumento deste indicador a partir de julho, efeito base, mas deve-se destacar que os resultados divulgados são inferiores aos projetados pelo mercado nos meses anteriores e que o processo desinflacionário está ocorrendo”, disse a pasta em nota.

    O Ministério do Planejamento é comandado por Simone Tebet, que endossa o discurso do governo por uma queda na taxa de juros. A expectativa é que o ciclo de cortes na Selic comece na próxima reunião do Copom, em agosto.

    A deflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou junho em 0,08%, após inflação de 0,23% em maio, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados hoje.

    O resultado se aproximou da mediana das previsões colhidas pelo Projeções Broadcast, que apontava queda de 0,10% no IPCA de junho.

    As estimativas eram de recuo de 0,19% a 0,01%. A taxa acumulada pela inflação no ano ficou em 2,87%. O resultado acumulado em 12 meses foi de 3,16% até junho.