Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dia do chocolate: produção cresce quase 10% e exportações somam US$ 72 milhões em 2023

    No Brasil, o consumo médio por pessoa é de 3,6 kg por ano; segundo a associação da indústria do chocolate, apesar do crescimento ainda há potencial para expansão das vendas

    Segundo a associação da indústria do chocolate, apesar do crescimento ainda há potencial para expansão do consumo no Brasil
    Segundo a associação da indústria do chocolate, apesar do crescimento ainda há potencial para expansão do consumo no Brasil Getty Images

    da Agência Brasil

    No Dia Mundial do Chocolate, nesta sexta-feira (7), levantamento da Abicab — associação do setor — em parceria com a Consultoria KPMG, mostra que a produção de chocolates no Brasil registrou cresceu 9,8% no primeiro trimestre de 2023 na comparação com o mesmo período do ano passado.

    Foram 219 mil toneladas nos três primeiros meses do ano. Em todo 2022, a produção chegou a 760 mil toneladas, expansão de 8% em relação a 2021.

    De acordo com o levantamento do setor, o cenário do mercado brasileiro de chocolates é promissor, tanto em termos de produção e exportação, quanto de geração de empregos.

    De acordo com dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho, a indústria de chocolates responde pela geração de cerca de 23 mil empregos diretos.

    O Brasil é um dos poucos países que tem toda a cadeia produtiva de chocolates, da produção de amêndoas de cacau até as indústrias responsáveis pela fabricação do produto final.

    Consumo

    O consumo de chocolates no Brasil atingiu 3,6 kg/per capita, ou seja, por pessoa, em 2022, contra 3,2 kg per capita em 2021. A Abicab avalia que o consumo nacional aumenta a cada ano, porém ainda existe um grande mercado a ser aproveitado.

    Aumento da renda e diminuição de desemprego contam para as boas expectativas do setor.

    De acordo com pesquisa da Euromonitor, os países europeus são os que apresentam maior consumo per capita de chocolate. O ranking é liderado pela Estônia, com 8,5kg/por pessoa, seguido pela Alemanha (8,4 kg), Áustria (8 kg) e Suíça (7,9 kg).

    A Abicab informou que os produtos oferecidos pela indústria são de consumo eventual. “Assim, estimulamos o consumo responsável e consciente, sempre no contexto de uma dieta equilibrada, associada a hábitos alimentares saudáveis e aliada a exercícios físicos”.

    Exportações

    O Brasil é reconhecido internacionalmente como produtor de chocolates de qualidade, aponta a Abicab.

    Em 2022, as exportações totalizaram 35,8 mil toneladas, correspondendo a US$ 141,3 milhões. No primeiro semestre de 2023, já foram exportadas 17,5 mil toneladas, correspondendo a U$ 71,8 milhões.

    Levantamento do Instituto Kantar, divisão Worldpanel, feito para a Abicab, aponta crescimento de 16,2% em faturamento para o setor de chocolates em 2022, em comparação ao ano anterior.

    De acordo com a associação, o principal fator positivo para esse resultado, e que permanece em expansão após o período da pandemia da covid-19, é o consumo fora de casa, embora tenha sido registrado aumento também no consumo dentro de casa.

    As duas modalidades de consumo contribuíram com incremento no volume e valor arrecadados no período, afirma a associação.