Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Entre os mais caros do mundo, preços de aluguéis em Manhattan batem outro recorde em abril

    Custo de médio alugar um apartamento na região teve aumento de 8%, atingindo, no período, US$ 4.241 ou R$ 21.100,25

    Apartamento de um quarto tinha um valor médio de alocação de US$ 4.200 ou R$ 20.896,26 em Manhattan
    Apartamento de um quarto tinha um valor médio de alocação de US$ 4.200 ou R$ 20.896,26 em Manhattan frimufilms/Freepik

    Anna Bahneyda CNN

    em Washington

    Enquanto os aluguéis estão diminuindo em algumas partes dos Estados Unidos, o custo do aluguel de um apartamento em Manhattan atingiu um recorde pelo segundo mês consecutivo.

    Normalmente, a atividade de alocação aumenta da primavera até o pico no final do verão [no hemisfério norte], mas o aluguel médio no mês passado foi o mais alto já registrado, de acordo com um relatório da corretora Douglas Elliman, e da Miller Samuel, uma empresa de avaliação e consultoria.

    O custo médio de alugar um apartamento em Manhattan foi de US$ 4.241 (R$ 21.100,25) em abril. Isso representa um aumento de 8% em relação ao ano anterior e de 1,6% em relação a março, quando os aluguéis atingiram o recorde de US$ 4.175 (R$ 20.771,88).

    Um apartamento de um quarto tinha um valor médio de alocação de US$ 4.200 (R$ 20.896,26), um aumento de 5% em relação ao ano passado; enquanto para um apartamento de dois quartos era US$ 5.500 (R$ 27.364,15), um aumento de 11% em relação ao ano anterior. Um do tipo estúdio é alugado por um preço médio de US$ 3.235 (R$ 16.095,10), um acréscimo de 13,5% em relação ao ano passado.

    O mercado de aluguel de Manhattan continua com uma tendência ligeiramente melhor do que lateral, disse Jonathan Miller, presidente e CEO da Miller Samuel.

    Não apenas os preços médios de aluguel estão subindo, mas a quantidade de concessões – ou incentivos oferecidos pelos proprietários – está caindo. Em abril, essas concessões caíram para o nível mais baixo desde novembro de 2019.

    O estoque listado em Manhattan expandiu anualmente, mas permaneceu mais de 10% abaixo da média da década em abril.

    Mas os dados sugerem que mais locatários estão optando por ficar parados, dados os preços dos aluguéis, com o número de novas alocações caindo drasticamente. Os novos aluguéis de apartamentos caíram 20% em relação a março e 14% em relação ao ano anterior.

    “A queda nos novos aluguéis indica que há um forte aumento nas renovações de aluguéis”, disse Miller. “Isso significa que o consumidor locatário aceitou que não veremos nenhuma melhoria na acessibilidade no curto prazo. Eles estão assinando renovações em vez de testar o mercado tentando encontrar melhores oportunidades”.

    Muitos locatários estão observando quando os preços dos aluguéis vão realmente cair.

    “A única resposta real para isso parece ser uma recessão”, disse Miller. “Os economistas vêm pedindo uma recessão há dois anos. Dado o estado atual do mercado, não parece ser nada que as pessoas esperem tão cedo.”

    Para Miller, mais preços recordes devem ser esperados entre agora e o final do verão [no hemisfério norte], quando os preços e o volume de aluguel tendem a atingir o pico.

    “Não necessariamente todos os meses, mas podemos ver vários outros meses com preços médios de aluguel recordes”, explica. “Se não virmos algum evento econômico que mudaria esse curso.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original