Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA: Vendas de novas casas caem em outubro e taxas de hipotecas atingem máxima de 2023

    Na comparação anual, vendas aumentaram em 17,7% mas seguem abaixo da expectativa

    Casa em construção na Carolina do Sul, EUA
    Casa em construção na Carolina do Sul, EUA 29/02/2020 - REUTERS/Lucas Jackson/Arquivo

    Anna Bahneyda CNN

    Washington

    As vendas de novas casas novas nos Estados Unidos caíram 5,6% em outubro, para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 679 mil, frente a uma taxa revista de 719 mil em setembro, de acordo com um relatório conjunto do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano dos EUA e do Gabinete do Censo.

    Já na comparação anual, as vendas aumentaram em 17,7%. Contudo, o número ainda ficou abaixo das expectativas dos analistas de um ritmo de vendas anualizado de 723.000.

    Embora as vendas de casas existentes tenham apresentado tendência de queda desde fevereiro e estejam a caminho de ser as piores em 30 anos, as novas casas para construção têm sido uma alternativa bem-vinda para os compradores.

    Altas taxas

    A queda nas vendas, acompanha a alta das taxas hipotecárias nos EUA, que atingiram seus níveis mais elevados no ano em outubro.

    Uma crise contínua de estoques e acessibilidade fez com que os proprietários com taxas hipotecárias ultrabaixas de 3% ou 4% estivessem relutantes em vender e comprar outra casa a uma taxa muito mais alta.

    Em agosto, as taxas ultrapassaram os 7% e subiram até aos 7,79% no final de outubro, à medida que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA) continua a combater a inflação, de acordo com as taxas médias semanais para um empréstimo de taxa fixa de 30 anos da Freddie Mac, empresa de securitização imobiliária dos EUA.

    A taxa média de hipoteca para esse empréstimo foi mais baixa recentemente, caindo para 7,29% na semana passada, de acordo com Freddie Mac.

    “O restrito mercado residencial de revenda continuou a beneficiar o novo mercado residencial porque as novas casas são muitas vezes a única opção disponível, já que muitos proprietários continuam a permanecer no local com suas taxas de juros favoráveis”, disse Kelly Mangold da RCLCO Real Estate Consulting.

    Os novos construtores de casas oferecem frequentemente mais opções de financiamento aos compradores, disse ela, e são capazes de “rebaixar” as taxas de hipoteca para tornar as suas ofertas mais atrativas do que o mercado de revenda.

    Para “reduzir” a taxa hipotecária, o construtor pode subsidiar uma parte da taxa de juro durante um período específico, geralmente um ou dois anos, tornando-a mais acessível para os compradores de casas no curto prazo.

    No caso de as taxas serem mais baixas daqui a alguns anos, o proprietário poderá refinanciar um empréstimo com pagamentos mensais mais baixos durante a vida do empréstimo.

    “Com a previsão de que as taxas de juros [hipotecárias] caiam no próximo ano, mais casas para revenda poderão ser colocadas no mercado – no entanto, ainda há uma demanda reprimida significativa por parte dos compradores”, disse Mangold.

    “Temos casas subconstruídas em comparação com o crescimento das famílias durante mais do que a última década e esta incompatibilidade permitiu que os preços em muitas áreas metropolitanas continuassem a subir à medida que as famílias competem pelo número limitado de casas disponíveis.”

    Se 2024 trouxer taxas de juros mais baixas, existe a possibilidade de que o ritmo de vendas de novas casas comece a acelerar à medida que as condições melhorem, disse ela.

    Veja também: Ibovespa opera em alta com apoio do exterior; dólar também sobe

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original