Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Valor do aluguel residencial aumenta três vezes mais que a inflação em 2023

    Índice FipeZAP de Locação Residencial mostra avanço de 16,16% no acumulado do ano; IPCA fechou 2023 com alta acumulada de 4,62%

    Índice teve alta mais expressiva que IPCA e IGP-M
    Índice teve alta mais expressiva que IPCA e IGP-M Marcos Santos/USP Imagens

    João Nakamurada CNN*

    São Paulo

    Os preços dos aluguéis fecharam 2023 em alta pelo 6º ano consecutivo, a 16,16%, segundo o Índice FipeZAP de Locação Residencial. Em dezembro, os preços subiram 1%.

    A pesquisa acompanha o preço médio de locação em 25 cidades com base em anúncios na internet. No ano anterior, o índice havia fechado em alta de 16,55%.

    A alta foi puxada principalmente pelos preços de imóveis com um dormitório. Com preço médio de R$ 54,74/m2, o valor de locação subiu 19,23% no ano passado.

    Em 2023, o preço médio do aluguel residencial foi de R$ 42,53/m2.

    No ano, todas as 25 cidades que integram a cesta da pesquisa registraram alta nos preços do aluguel, incluindo 11 capitais. Seis delas fecharam o ano acima da média geral.

    Puxando a aceleração, está Goiânia, onde o aluguel ficou 37,28% mais caro em 2023. As outras cidades que encareceram acima da média foram Florianópolis (27,68%), Fortaleza (21,95%), Curitiba (20,7%), Rio de Janeiro (19,79%) e Belo Horizonte (17,11%).

    5 municípios com altas mais expressivas no preço do aluguel em 2023. Goiânia, Florianópolis, Fortaleza, Curitiba e Rio de Janeiro foram as que mais encareceram
    Arte: CNN Brasil

    A alta apresentada pelo Índice FipeZAP é bem mais expressiva do que a variação de indicadores de inflação como o IPCA e o IGP-M, calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e conhecido como a “inflação do aluguel”.

    O IPCA fechou 2023 com alta acumulada de 4,62%, sendo que o grupo Habitação subiu 5,06% no ano, ficando atrás de Educação (8,24%), Transportes (7,14%), Saúde e cuidados pessoais (6,58%) e Despesas pessoais (5,42%).

    Já o índice calculado pela FGV mostra que os aluguéis ficaram 3,18% mais baratos em 2023.