Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Azeite, peixe e chocolate: produtos do almoço de Páscoa estão até 41% mais caros este ano, revela estudo

    Alta média de produtos consumidos no período é de 8,84%, segundo empresa de dados para varejo e indústria Scanntech

    Levantamento foi realizado pela Scanntech
    Levantamento foi realizado pela Scanntech Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

    Amanda Sampaioda CNN em São Paulo

    O preço de produtos do tradicional almoço de Páscoa subiu mais de 40% neste ano, segundo levantamento da empresa de dados para varejo e indústria Scanntech.

    Na média, a cesta com 16 itens subiu 8,84% ante o mesmo período do ano passado, muito acima da inflação de alimentos de 0,67%, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

    A alta foi puxada pelo azeite (+41%), seguido por bacalhau (+36%) e outros peixes (+15%). Os tradicionais chocolates estão 8% mais caros, enquanto o vinho subiu 4%.

    Na ponta oposta, apenas dois itens tiveram queda de preço: creme de leite (-4%) e sardinha em lata (-6%).

    O levantamento destaca que, apesar de 2023 ter sido um ano de baixa inflação para a alimentação em domicílio, os produtos mais consumidos durante a Páscoa tiveram um aumento de preços de quase o dobro do IPCA geral.

    “Azeite e bacalhau são as categorias que mais aumentaram preços. Mas levando em conta também a participação nas vendas de cada categoria, como peixe e chocolate, com alta representatividade, são estas as categorias que, ao lado do azeite, mais puxam o preço médio da cesta como um todo”, diz o estudo.

    O levantamento destaca ainda a alta do faturamento das categorias da cesta de Páscoa no ano passado.

    “Por razões óbvias, as categorias sazonais são as que apresentam maior crescimento na semana da páscoa quando comparado com o resto do ano. No entanto, categorias que compõem o almoço de Páscoa, como atum, vinho, palmito, grão-de-bico, entre outros, também entregam crescimento de faturamento”, conclui a Scanntech.