Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Taxa de juros inviabiliza crescimento da economia, diz Rui Falcão à CNN

    Deputado federal e presidente da Comissão de Constituição de Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara classificou a taxa de juros atual de "pornográfica"

    Rui Falcão (PT-SP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, em entrevista à CNN
    Rui Falcão (PT-SP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, em entrevista à CNN Reprodução/CNN

    Da CNN

    O deputado federal e presidente da Comissão de Constituição de Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados Rui Falcão (PT-SP) criticou a taxa de juros em entrevista à CNN nesta segunda-feira (27).

    “A taxa de juros é pornográfica. Ela inviabiliza o crescimento da economia. É uma taxa que sabota a política econômica e sabota o próprio Brasil”, declarou o parlamentar.

    Falcão comentou falas do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB), em entrevista concedida no mesmo dia, na qual abordou a proposta do novo marco fiscal sugerida pelo atual governo.

    “A proposta de ancoragem fiscal, tenho convicção de que vai nos ajudar a reduzir essa taxa de juros que não tem o menor sentido. A maior do mundo, o dobro do segundo colocado, sem ter uma inflação de demanda”, disse o vice-presidente.

    O presidente da CCJ afirmou ainda que “é preciso baixar a taxa de juros, para que o país possa produzir, possa distribuir renda, possa incluir a população que sofre tanto”.

    Atualmente, a taxa básica de juros está em 13,75% ao ano, maior nível desde 2016.

    Brasil continua liderando o ranking de países com os maiores juros reais do mundo, aponta um levantamento da gestora Infinity Asset Management que compila dados das 40 principais economias globais.

    Os juros reais são a taxa de juros corrente descontada a inflação. Neste mês, eles marcaram 6,94% no Brasil, após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), de manter a Selic em 13,75% ao ano.

    Com isso, o país se mantém no topo do ranking pela quarta vez consecutiva, seguido por MéxicoChileFilipinas e Indonésia, respectivamente

    Publicado por Luana Franzão, com informações de Tamara Nassif. Produzido por Rafael Saldanha, sob supervisão de Elis Franco.