Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    XP vê clientes buscando mais ativos de renda fixa durante crise do coronavírus

    Bruno Constantino, diretor financeiro da empresa, diz que as pessoas "terão que continuar investindo em algo". XP tem R$ 409 bilhões em ativos sob custódia

    Sede da XP Investimentos em São Paulo (11.dez.2019)
    Sede da XP Investimentos em São Paulo (11.dez.2019) Foto: Amanda Perobelli/Reuters

    Reuters

    A XP espera que seus clientes migrem para ativos de renda fixa em meio à turbulência nos mercados causada pelo novo coronavírus, disse seu diretor financeiro, Bruno Constantino, em teleconferência com analistas nesta terça-feira (17).

    Constantino disse que esse movimento deve compensar os resgates em ações, mantendo a entrada líquida de dinheiro, embora a XP tenha visto uma queda nos ativos sob custódia de grandes clientes. No último trimestre de 2019, a entrada líquida de dinheiro foi de cerca de R$ 11 bilhões por mês.

    “Até agora, a entrada líquida está mantendo o mesmo ritmo (de antes)”, disse ele, quando questionado sobre o impacto da crise do coronavírus. “As pessoas terão que continuar investindo em algo (apesar da crise).”

    O XP divulgou mais cedo que seu lucro do quarto trimestre mais que triplicou, além de ter adicionar mais clientes e reforçou o volume de ativos sob custódia.

    A base de clientes ativos da XP subiu 91% em 12 meses, para 1,7 milhão, aumentando os ativos sob custódia para R$ 409 bilhões, o que mais que dobrou em relação ao ano anterior.

    Este é o primeiro relatório trimestral da XP após a companhia ter listado suas ações na Nasdaq em dezembro.

    O lucro líquido subiu para R$ 390 milhões no trimestre, ante R$ 113 milhões no ano anterior. A receita bruta aumentou 90%, para R$ 1,82 bilhão.