Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Funcionários do Silicon Valley Bank culpam CEO por colapso

    Greg Becker recebeu críticas pela forma como lidou com a crise e como comunicou os problemas financeiros aos trabalhadores do banco

    Notícia gerou uma onda de medo em todo o Vale do Silício, onde o banco atua como um importante credor para startups de tecnologia
    Notícia gerou uma onda de medo em todo o Vale do Silício, onde o banco atua como um importante credor para startups de tecnologia Liu Guanguan/China News Service/VCG via Getty Images

    Matt Eganda CNN

    Começou o “jogo” interno para saber quem foi o culpado que causou o colapso do Silicon Valley Bank (SVB), e o setor de tecnologia está apontando o dedo para o CEO do SVB, Greg Becker, por permitir que sua empresa entrasse na história como a segunda maior falência bancária já registrada nos Estados Unidos.

    Um funcionário do Silicon Valley Bank, que pediu anonimato para falar livremente, ficou perplexo com a forma como Becker reconheceu publicamente a extensão dos problemas financeiros do banco antes de conseguir em particular o apoio financeiro necessário para enfrentar a tempestade.

    Isso preparou o terreno para o pânico que se seguiu quando os clientes correram para tentar sacar seu dinheiro.

    “Isso foi absolutamente idiota”, disse o funcionário, que trabalha no setor de gerenciamento de ativos do Silicon Valley Bank, em entrevista à CNN. “Eles estavam sendo muito transparentes. É exatamente o oposto do que você normalmente veria em um escândalo. Mas sua transparência e franqueza acabaram com eles.”

    Becker e sua equipe de liderança revelaram na noite da quarta-feira (8) uma esperança (mas nenhum compromisso firme) de levantar US$ 2,25 bilhões em capital, bem como US$ 21 bilhões em vendas de ativos que geraram uma perda de US$ 1,8 bilhão.

    Essa notícia gerou uma onda de medo em todo o Vale do Silício, onde o banco atua como um importante credor para startups de tecnologia. Muitos deles entraram em pânico, sacando US$ 42 bilhões somente na última quinta-feira (9), quando as ações do Silicon Valley Bank caíram 60%, de acordo com registros de reguladores da Califórnia.

    Ao final dos negócios naquele dia, o Silicon Valley Bank tinha um saldo de caixa negativo de cerca de US$ 958 milhões.

    “As pessoas estão chocadas com o quão estúpido o CEO é”, disse a fonte do Silicon Valley Bank. “Você está no mercado há 40 anos e está me dizendo que não pode arrecadar US$ 2 bilhões de forma privada? Pegue um jato e voe para o Kuwait como todo mundo e dê a eles o controle de um terço do banco.”

    O Silicon Valley Bank não respondeu aos pedidos de comentários, mas Becker teria se desculpado com os funcionários sobre a situação.

    “É com o coração incrivelmente pesado que estou aqui para entregar esta mensagem”, disse Becker em uma mensagem de vídeo para a equipe na sexta-feira, segundo a Reuters. “Não consigo imaginar o que estava passando pela sua cabeça e se perguntando sobre seu trabalho e seu futuro.”

    “Histeria generalizada”

    Jeff Sonnenfeld, CEO do Chief Executive Leadership Institute (CELI) da Yale School of Management, disse à CNN que concorda que a liderança do Silicon Valley Bank merece críticas por sua “execução malfeita e surda”.

    “Alguém acendeu um fósforo e o banco gritou: ‘Fogo!’ – tirando os alarmes a sério por uma preocupação genuína com a transparência e a honestidade”, disseram Sonnenfeld e Steven Tian, ​​diretor de pesquisa do CELI, em um e-mail no domingo à CNN.

    Sonnenfeld e Tian disseram que o anúncio de um aumento de capital não subscrito de US$ 2,25 bilhões na noite de quarta-feira não era apenas “desnecessário” porque o Silicon Valley Bank tinha capital suficiente muito além dos requisitos regulatórios, mas também não havia necessidade de revelar simultaneamente a perda de US$ 1,8 bilhão.

    O golpe duplo “compreensivelmente provocou histeria generalizada em meio a uma corrida para retirar os depósitos”, escreveram os dois, acrescentando que poderiam ter espaçado os anúncios em uma ou duas semanas e reduzido a magnitude.

    Depois que seu governo anunciou um resgate rápido dos depositantes do Silicon Valley Bank no domingo, o presidente Joe Biden sinalizou que as autoridades americanas examinarão de perto todas as partes envolvidas no colapso do banco.

    “Estou firmemente comprometido em responsabilizar totalmente os responsáveis ​​por essa bagunça e em continuar nossos esforços para fortalecer a supervisão e a regulamentação de bancos maiores, para que não fiquemos nesta posição novamente”, disse Biden em um comunicado.

    O papel do Fed

    De sua parte, Sonnenfeld e Tian argumentam que Jerome Powell, a escolha de Biden para liderar o Federal Reserve, e seus colegas merecem pelo menos parte da culpa.

    “Não deve haver dúvidas de que o colapso do Silicon Valley Bank foi resultado direto dos aumentos persistentes e excessivos das taxas de juros do Fed”, escreveram eles.

    Por que? Porque a guerra do Fed contra a inflação deprimiu tanto o valor dos títulos dos quais o Silicon Valley Bank contava para obter capital quanto o valor das startups de tecnologia que o banco atendia.

    Claro, o Silicon Valley Bank teve mais de um ano para se preparar para essas duas questões.

    O insider do Silicon Valley Bank disse que a má gestão do balanço do banco na semana passada foi “estupidez” e questionou a estratégia do CEO e do CFO.

    Ainda assim, o funcionário, que é um veterano de Wall Street, enfatizou sua crença de que a queda do Silicon Valley Bank foi provocada por erros e “ingenuidade”, não por irregularidades absolutas.

    “O mais triste é que este lugar é escoteiro”, disse ele. “Eles cometeram erros, mas não são pessoas más.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original