Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Gigante de varejo americana, Target testa nova política para caixas de autoatendimento

    Target restringiu totens de self-checkout para clientes que compram 10 itens ou menos

    Fachada de uma das lojas da varejista Target
    Fachada de uma das lojas da varejista Target Shutterstock

    Nathaniel Meyersohnda CNN

    Nova York

    A Target está testando uma nova política para seus caixas de auto atendimento nos Estados Unidos, à medida que os varejistas descobrem que a tecnologia sem caixa pode desanimar os clientes.

    Em algumas lojas, a Target restringiu os totens de self-checkout aos clientes que compram 10 itens ou menos. Os clientes que compram mais do que isso são obrigados a usar caixas com atendentes.

    Um porta-voz da Target disse que o teste foi projetado para reduzir o tempo de espera e “compreender melhor” as preferências dos compradores.

    “Nossos convidados nos dizem que gostam de interagir com nossa equipe”, disse o diretor de operações da Target, John Mulligan, em uma ligação com analistas na terça-feira (21) sobre as mudanças.

    A empresa “reorientou” suas áreas de checkout e, desde então, registrou um aumento de 6% no número de clientes que utilizam caixas de serviço completo nas suas lojas.

    A Target e outros varejistas expandiram as máquinas de self-checkout nos últimos anos. O auto atendimento foi projetado para ajudar as empresas a economizar em custos de mão de obra e agilizar a finalização da compra para os clientes.

    Mas a promessa do self-checkout não se solidificou.

    As máquinas às vezes quebram. Os clientes muitas vezes enfrentam erros e falhas na digitalização de itens, exigindo que os funcionários venham ajudá-los.

    Isto elimina potenciais poupanças de mão-de-obra e torna o auto atendimento mais lento, em alguns casos, do que o atendimento realizado por funcionários.

    “Nossos clientes nos disseram isso ao longo do tempo: que as máquinas de auto escaneamento que temos em nossas lojas podem ser lentas, podem não ser confiáveis ​​[e] são obviamente impessoais”, disse um executivo da rede de supermercados Booths à BBC.

    A varejista removeu recentemente o serviço de auto atendimento em quase todas suas lojas, exceto duas. Walmart, Costco, Shoprite e outras redes também revisaram suas estratégias de auto-checkout.

    Notavelmente, as redes de varejo perdem mais vendas possíveis com o self-checkout do que com os caixas operados por funcionários, tanto por furtos intencionais como por erros honestos dos clientes.

    Um estudo realizado com lojas dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e outros países europeus descobriu que as empresas com vias e aplicações de auto-pagamento tiveram uma taxa de perdas de cerca de 4%, mais do dobro da média da indústria.

    A Target disse que as perdas de mercadorias, conhecidas como redução, não foram um fator no teste de novas políticas de self-checkout.

    A Target apontou o roubo, tanto pequenos furtos em lojas quanto grupos organizados de criminosos que roubam mercadorias e as revendem online, como responsáveis ​​pelo aumento das perdas – mais de 60% das perdas incluem roubo de funcionários, produtos danificados, erros administrativos, fraude de fornecedores e outros fatores.

    “A redução continua sendo um obstáculo financeiro significativo”, disse o chefe financeiro da Target, Michael Fiddelke, na terça-feira.

    Veja também: Supermercados estão repensando o uso de caixas de autoatendimento; entenda

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original