Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Haddad confirma mais quatro nomes para segundo escalão do Ministério da Fazenda

    “É uma equipe jovem. Mas são pessoas capacitadas, inteligentes e criativas. Vão ajudar a fazer um Ministério da Fazenda mais eficiente”, afirmou o futuro ministro ao citar os indicados.

    Tainá FalcãoTainá FarfanLeonardo Ribbeiroda CNN

    O futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), anunciou nesta quinta-feira (22) mais quatro auxiliares que irão integrar o segundo escalão da pasta. Os nomes já haviam sido antecipados pela CNN.

    “É uma equipe jovem. Mas são pessoas capacitadas, inteligentes e criativas. Vão ajudar a fazer um Ministério da Fazenda mais eficiente”, afirmou Haddad ao citar os indicados.

    O auditor fiscal Rogério Ceron vai chefiar o Tesouro Nacional. Ceron se despediu recentemente da presidência da SP Parcerias, órgão ligado a Prefeitura de São Paulo, com a indicação de que partiria para “novos projetos”.

    A Receita Federal será ocupada pelo procurador-chefe da Fazenda do município de São Paulo e advogado Robinson Barreirinhas, ex-secretário de Assuntos Jurídicos da cidade de São Paulo na gestão de Haddad.

    “Ele [Barreirinhas] ajudou na renegociação de dívidas deixadas por governos passados em São Paulo. E nos ajudou a recolocar a cidade em condições mínimas de governança”, ressaltou.

    Já o economista Guilherme Mello assumirá a Secretaria de Políticas Econômicas. Mello foi conselheiro do PT no período eleitoral e participou do grupo de economia da transição. Ele também é crítico do teto de gastos e defende a criação de uma nova âncora fiscal.

    “Guilherme teve um papel decisivo em nos assessorar com os argumentos que fossem mais sólidos para o sucesso no convencimento de parlamentares para aprovação da PEC [do Estouro]”, disse Haddad.

    O futuro ministro da Fazenda anunciou ainda Marcos Barbosa Pinto para a Secretaria de Reformas Econômicas, que substituirá a Secretaria de Assuntos Econômicos. Ele é ex-diretor do BNDES. No ministério, será um dos responsáveis por tocar parte das reformas a serem propostas pelo governo eleito.

    Dos quatro novos secretários da pasta, apenas Marcos Barbosa não acompanhou pessoalmente o anúncio por conta de uma viagem pessoal. Entre os cargos do segundo escalão, falta apenas a indicação do nome para a Secretaria de Assuntos Internacionais. De acordo com Haddad, o escolhido deve ser anunciado na próxima semana.

    Outros nomes

    Haddad já havia anunciado o nome do economista e ex-presidente do Banco Fator, Gabriel Galípolo, para a secretaria-executiva da pasta e de Bernard Appy para secretaria especial da Reforma Tributária. Além de Anelize Lenzi Ruas, para procuradora-geral da Fazenda Nacional.