Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Inflação do casamento” faz noivos reduzirem festa e até desconvidar amigos

    Orçamentos que subiram até 100% pegou casais de surpresa e fez práticas da pandemia retornar às festas atuais; especialistas do setor avisam que preços devem permanecer altos

    Olivia Bauso/Unsplash

    Martha C. Whitedo CNN Business

    Os lockdowns da pandemia de Covid-19 podem até ter ficado para trás, mas a inflação crescente fez retornar os “micro” casamentos, cerimônias via Zoom e lista de convidados cortada.

    Casais pegos de surpresa por orçamentos de casamento que explodiram em até 100% estão lutando para economizar por todos os meios possíveis para enfrentar a inflação mais alta já vista em 40 anos.

    “Enquanto estávamos planejando, nosso orçamento original parece ter aumentado muito rapidamente”, disse Jamaicia Lewis, cientista de saúde pública que se casou em Miami, nos Estados Unidos, em abril.

    “Nosso orçamento original do casamento era de US$ 50 mil a US$ 60 mil com quase 200 convidados, mas quase dobrou”, disse ela. “Para compensar boa parte da inflação, tivemos que recorrer ao uso de nossos cartões de crédito”.

    Mas a pressão de um orçamento de casamento aumentando rápido, mais os custos associados à nova casa que Lewis e seu marido, Jamal, compraram recentemente em Atlanta, os forçaram a considerar medidas mais drásticas.

    Por fim, eles decidiram limitar o número de convidados a 150 – o que significa que eles teriam que desconvidar algumas pessoas, disse ela. “Era uma dura verdade, mas não podíamos esticar ainda mais o orçamento”.

    Dar a notícia foi uma “conversa difícil”, disse ela, mesmo depois de escrever vários rascunhos de um roteiro para falar por telefone ou mensagem de texto.

    “Em geral, tivemos uma boa resposta”, disse Lewis, embora algumas das pessoas desconvidadas tenham expressado seus planos de comparecer de qualquer maneira.

    “Eu só disse: ‘Teremos segurança lá'”, disse ela, acrescentando que ela e o marido refletiram brevemente sobre a possibilidade de usar pulseiras para impedir qualquer penetra no casamento. Mas eles acabaram permitindo que alguns convidados não autorizados ficassem. “Os casamentos ganham vida própria. As pessoas sentem que é o dia delas também”.

    Planos alterados à medida que os custos aumentam

    Os custos que só aumentam estão pairando sobre a cabeça de muitos casais recém-casados e quase casados. O The Knot, que realiza uma pesquisa anual sobre tendências de casamento, incluindo tamanho e custo, descobriu que quase metade dos casais que se casaram no ano passado reduziram o número de convidados.

    A média das festas de casamento em 2021 teve 105 convidados, de acordo com o The Knot, embora o custo médio tenha sido de US$ 34 mil – aproximadamente o mesmo que os US$ 33.900 relatados em 2019, quando o número médio de convidados foi de 131.

    A inflação só continuou a subir desde então, e o choque é palpável. Os casais estão pechinchando mais, procurando substitutos menos caros para tudo, desde entradas a anéis de noivado, e cortando custos da maneira que puderem.

    O aumento dos custos do casamento forçou a Jamaicia e Jamal Lewis a tomar a difícil decisão de desconvidar alguns amigos / Michaela Photography / Arquivo Pessoal

    “É impressionante quanto custam os casamentos”, disse Courtney Collins, enfermeira em Rutland, Vermont, nos EUA, que planejava um casamento para 130 pessoas em setembro. “Este é o meu segundo casamento. Eu estava tipo, ‘Eu não vou gastar 80 mil em um casamento’, [mas] eu poderia facilmente ter gasto cerca de US$ 80 mil sem acrescentar muito mais”.

    Collins disse que espera manter o custo total abaixo de US$ 40 mil limitando o open bar durante a recepção e pedindo ajuda a amigos artísticos com convites e decoração.

    “Desde a pandemia, tudo disparou”, disse Leah T. Williams, proprietária de uma empresa de design floral e de eventos com escritórios em West Palm Beach e Nova York. “Micro-casamentos, como as pessoas estão chamando, estão na moda”.

    Designers dizem que o custo das flores disparou por causa da demanda reprimida, bem como do clima severo e da turbulência política em alguns dos principais mercados de exportação. As rosas que poderiam custar 80 centavos de dólar por haste no passado, agora custam até US$ 3 cada – um aumento que tem um grande impacto nos arranjos florais de Williams.

    “Três dólares não parece muito quando você está comprando uma, mas quando você está comprando 6 mil, isso é muito. Faz uma enorme diferença quando você cota com alguém por US$ 8 mil e volta depois com um preço de US$ 14 mil”, disse ela.

    “Esses aumentos foram insanos”, disse Williams, acrescentando que até o custo dos suprimentos multiplicou. “A espuma, as bases – tudo o que precisamos para criar um design aumentou totalmente”.

    Por exemplo, ela disse, um rolo de fita floral que ela poderia comprar por cerca de US$ 4 no início de 2020 agora custa quase US$ 12.

    De fantasias de casamento dos sonhos a pesadelos financeiros

    Os planejadores de casamentos dizem que seu trabalho sempre foi tentar combinar ideais de contos de fadas com orçamentos do mundo real, mas hoje essa façanha é mais difícil do que nunca, já que quase todos os aspectos do evento, não importa o quão mundanos, são mais caros.

    Antes da pandemia, Fallon Carter, proprietária da Fallon Carter Events, com sede em Nova York e Los Angeles, disse que o preço típico por cadeira de uma locadora era de US$ 15. “Agora estou alugando cadeiras que custam US$ 40”, disse ela.

    Muitos casais pensam nos custos em termos do custo por refeição do fornecedor ou local, disse ela. Mas, na realidade, um jantar de US$ 150 por prato equivale a mais de US$ 1.500 por pessoa quando decorações, aluguel de móveis, flores, música, artigos de papelaria e outros elementos são incluídos no cálculo, disse ela.

    Uma mesa posta no casamento da Jamaicia e Jamal / Michaela Photography / Arquivo Pessoal

    O fornecimento de bens – de aluguel de móveis e forros de mesas e cadeiras a alimentos e flores – bem como mão de obra permanece altamente restrito, pois os casamentos adiados em 2020 ou 2021 devido à pandemia ainda estão sendo remarcados.

    Todos esses eventos remarcados significam que os locais que antes realizavam um ou dois casamentos por semana nos fins de semana agora também são reservados nos dias de semana – apenas uma faceta da crise da falta de pessoal que atormentou as indústrias de serviços de alimentação e hospitalidade.

    As fantasias alimentadas pelas redes sociais também podem criar expectativas irreais, dizem os planejadores. “Eles estão passando por um choque, porque o que veem no Instagram ou no TikTok, eles não têm ideia de quanto custa”, disse Oniki Hardtman, proprietária e diretora criativa da Oh Niki Occasions, uma empresa de design de casamentos e eventos em Nova York e Palm Beach, na Flórida.

    Janae’ Hunte, uma advogada que mora em Nova Jersey, planejou inicialmente um orçamento de casamento de US$ 60 mil a US$ 80 mil quando ela e o marido ficaram noivos no final de 2020. Mas quando as cotações finais começaram a chegar pouco antes do casamento em julho de 2022, Hunte teve que pensar duas vezes.

    “Recebemos nossa cotação para flores e custava cerca de US$ 20 mil”, disse ela. Isso era o dobro do máximo que haviam orçado para flores. Sua cotação final para alugar móveis, forros e talheres foi mais que o dobro de seu orçamento de US$ 8 mil, e o menu para o jantar de ensaio do casal saltou quase 30%.

    “Acabei escolhendo o esquema de cores para combinar com as cadeiras que eles tinham em estoque”, disse ela. “Outra coisa que fizemos foi cortar bandeja de pratos e talheres […] e cortamos a maioria dos aluguéis com exceção das toalhas”.

    “Conseguimos tirar muitas coisas ou reduzi-las”, disse Hunte, mas com uma lista de convidados de 150 pessoas, economizar tinha seus limites. A contagem final, disse ela, ficou “um pouco abaixo” de US$ 120 mil.

    “Não é culpa do vendedor, não é culpa do organizador do casamento, é apenas uma dessas coisas que acontece”, disse ela. “Com tantas partes móveis durante a Covid e simplesmente sem saber o que poderá acontecer”.

    Redução e digitalização

    Vendedores, como planejadores e fotógrafos, dizem que estão sujeitos a mais pechinchas e que os eventos parecem estar ficando menores.

    “Não se trata mais apenas de vender nossos serviços”, disse Hardtman. “Tem que ser uma educação de como vamos acabar economizando dinheiro a longo prazo”.

    “Há um aperto total nos orçamentos. Acabei de falar com uma noiva e a palavra de ordem é orçamento, orçamento, orçamento”, disse Chris Todd Griffiths, coproprietário do Christopher Todd Studios, em Orange County, na Califórnia.

    Leah T. Williams, proprietária de uma empresa de design floral e de eventos que enfrenta o aumento dos preços / Leah T. Williams Events / Luxury Blooms Experience / Arquivo Pessoal

    Griffiths também disse que mais casais parecem estar diminuindo o tamanho de seus casamentos. “Tenho fotografado uma tonelada de ‘fugas para casar’. Provavelmente fotografei 50 no último ano e meio”, disse ele. “Eu tive alguns casamentos enormes que acabaram sendo menores. Eles estão diminuindo as listas de convidados”.

    “Gostamos de dizer às pessoas que, neste momento, você precisa fazer uma contagem de convidados que seja realista”, disse Carter, embora alguns optem por manter os convidados e perder os atendentes. “Muitas pessoas estão dizendo: ‘Não vamos mais ter festas de casamento'”, já que o custo de pagar pelo cabelo, maquiagem, flores e presentes aumenta rapidamente.

    Collins espera cerca de 130 convidados em seu casamento em setembro. “Se eu pudesse fazer do meu jeito com todos os amigos que eu queria ter, seria muito maior, [mas] eu não posso me dar ao luxo de ter um casamento com 200 pessoas”.

    A celebração via Zoom, um substituto da era da pandemia quando grandes reuniões foram reduzidas, foi reaproveitado como uma forma de incluir um grupo maior de amigos e parentes sem as despesas de um evento presencial.

    Mas, embora ela já planejasse fazer um brinde virtual com champanhe no dia do casamento para parentes distantes ou imunocomprometidos que não pudessem comparecer pessoalmente, Collins agonizou ao excluir um grupo de amigos que se tornou mais unido desde a pandemia.

    Acrescentar mais US$ 1.200 ao seu orçamento não era um bom começo, disse ela, então abordou seus amigos com uma proposta diferente. “Vou fazer uma festa depois e é muito mais barato”, disse ela, acrescentando que a resposta que recebeu foi positiva. “As pessoas estavam totalmente empolgadas por serem convidadas”.

    Embora algumas dessas soluções provavelmente não se tornem tradições de casamento, alguns profissionais do setor acham que a pandemia redefiniu as expectativas da sociedade na medida em que festas separadas, eventos virtuais ou desconvidar pessoas não representam mais o tipo de gafe que poderiam representar há cinco anos.

    “Felizmente, certas coisas da pandemia tornaram mais aceitável convidar pessoas para seu casamento via Zoom, por exemplo, ou ter uma celebração secundária”, disse Hardtman.

    Até as celebridades estão optando por ser discretas, se o recente casamento relâmpago de Jennifer Lopez e Ben Affleck em uma capela em Las Vegas servir como uma indicação.

    Essa é uma boa notícia para os casais que planejam se casar, porque os preços mais altos provavelmente permanecerão fixos por um tempo, preveem especialistas do setor.

    “Pessoalmente, não acho que os preços cairão tanto quanto os vimos antes da pandemia”, disse Williams. “Acho que o mercado vê e entende que estamos em uma indústria multibilionária e eles vão capitalizar isso o máximo possível”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original