Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    TCU aprova novo projeto de concessão da “rodovia da morte”

    São esperados cerca de R$ 5,7 bilhões em investimentos, que incluem a duplicação de pistas e construção de faixas adicionais

    Concessão da rodovia à iniciativa privada já é discutida há mais de 20 anos
    Concessão da rodovia à iniciativa privada já é discutida há mais de 20 anos Foto: Divulgação

    Gabriel Garciada CNN

    Brasília

    O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou, nesta quarta-feira (17), o novo projeto de concessão da BR-381, em Minas Gerais. A pista é conhecida como “rodovia da morte” pelo traçado altamente sinuoso e pelo elevado número de acidentes que já ocorreram nela.

    A concessão da rodovia à iniciativa privada já é discutida há mais de 20 anos. A expectativa é de que o leilão aconteça ainda esse ano, em meados de setembro. O intuito inicial do governo era de que a liberação para o leilão tivesse ocorrido já no ano passado.

    O contrato de concessão, válido por 30 anos (prorrogáveis por até cinco anos), abrange um trecho de 303 km entre Belo Horizonte e Governador Valadares, em Minas Gerais.

    São esperados cerca de R$ 5,7 bilhões em investimentos, que incluem a duplicação de 107 km de pistas e a construção de 82 km de faixas adicionais.

     

    A concessão prevê cinco praças de pedágio, com 5% de desconto na tarifa para usuários que usem meios de pagamento eletrônico e descontos progressivos para motoristas frequentes da rodovia.

    No projeto, a tarifa-teto de pedágio para automóveis de passeio é de R$ 18,34 por cada 100 km em trechos de pista simples e de R$ 25,68 por cada 100 km em trechos de pista dupla. O valor poderá diminuir dependendo da concorrência no leilão.

    O processo concessório será conduzido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).