Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lucro do BNDES sobe 21% no 3º trimestre, e carteira cresce a maior nível desde início de 2019

    O lucro líquido recorrente chegou a R$ 2,9 bilhões no terceiro trimestre, o que representa uma alta de 21,3% sobre os resultados do terceiro trimestre do anterior

    Diretor financeiro do BNDES, Alexandre Abreu; presidente do BNDES, Aluísio Mercadante; Nelson Barbosa, diretor de planejamento do BNDES
    Diretor financeiro do BNDES, Alexandre Abreu; presidente do BNDES, Aluísio Mercadante; Nelson Barbosa, diretor de planejamento do BNDES Diego Mendes

    Diego Mendesda CNN

    São Paulo

    O lucro líquido recorrente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi de R$ 2,9 bilhões no terceiro trimestre, o que representa uma alta de 21,3% sobre os resultados do terceiro trimestre do ano anterior, informou a instituição nesta sexta-feira (17)

    O banco divulgou ainda um aumento na carteira de crédito de R$ 15,7 bilhões de janeiro a novembro de 2023, chegando a R$ 495,2 bilhões, o maior nível desde o primeiro trimestre de 2019.

    Seguindo tendências das últimas divulgações, a demanda por crédito até setembro deste ano mostra aceleração do desempenho operacional.

     

    De acordo com o diretor financeiro, Alexandre Abreu, houve, nos nove meses de 2023, um crescimento de 94% das consultas e de 20% nos desembolsos (dinheiro efetivamente colocado na economia), frente ao mesmo período do ano passado.

    As aprovações de financiamento aumentaram 43%.

    Na apresentação da instituição do desempenho do terceiro trimestre do ano do banco., Nelson Barbosa, diretor de planejamento do BNDES, disse que a instituição sugeriu ao governo revisão de mecanismo que permite saque de recursos do FAT para ajudar a cobrir déficit da previdência.

    Barbosa disse ainda que o banco tem perspectiva de desembolsos entre R$ 125 bilhões e R$ 160 bilhões em 2024, após previsão de R$ 119 bilhões em 2023.