Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lucro líquido da CPFL Energia mais que dobra no 2º tri, para R$ 1,126 bi

    A empresa ainda reportou receita operacional líquida de R$ 8,813 bilhões no trimestre encerrado em junho, alta de 34,3% no ano a ano

    Foto: REUTERS / Oswaldo Rivas

    Gabriel Araujo,

    da Reuters

     A CPFL Energia registrou lucro líquido de R$ 1,126 bilhão no primeiro trimestre de 2021, salto de 143,6% ante igual período do ano passado, em meio a uma retomada no consumo de eletricidade no país, informou a empresa na quinta-feira (12).

    O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) consolidado atingiu R$ 2,054 bilhões, avanço de 70% na comparação anual, acrescentou a CPFL, do grupo chinês State Grid.

    “O destaque vem da retomada do consumo de energia, com crescimento de 12,9%, ficando inclusive acima do patamar do segundo trimestre de 2019”, disse em nota o presidente da companhia, Gustavo Estrella.

    As vendas de energia na área de concessão da empresa totalizaram 16.881 gigawatts-hora (GWh) no período, de acordo com a CPFL.

    “Esse crescimento se deu principalmente na classe industrial, que registrou crescimento 27,4%, em função da recuperação da indústria em segmentos relevantes em nossas regiões”, afirmou o executivo, acrescentando que o segmento comercial teve avanço de 14,1% na comparação anual, mas permaneceu com valor negativo ante mesma etapa de 2019.

    No segmento de geração, Estrella destacou um bom desempenho do vento nos parques eólicos da empresa, o que levou a um aumento de 38,2% na geração eólica, e ressaltou que os reajustes contratuais também favoreceram o resultado do trimestre, uma vez que boa parte deles estão atrelados ao IGP-M.

    A CPFL ainda reportou receita operacional líquida de R$ 8,813 bilhões no trimestre encerrado em junho, alta de 34,3% no ano a ano, enquanto os investimentos avançaram em 57,2%, para R$ 1,019 bilhão.

    A dívida líquida da empresa fechou o trimestre em R$ 15,633 bilhões, alta de 6,7%, enquanto a relação entre dívida líquida e Ebitda, que mede a alavancagem da companhia, atingiu 1,88 vez, versus 2,29 vezes em junho do ano passado.

    A elétrica também citou a aquisição de 66,1% da gaúcha CEEE-Transmissão por R$ 2,67 bilhões, em leilão de privatização realizado em meados de julho, no qual superou empresas como Isa Cteep, Energisa e Mez Energia.

    “Essa aquisição reforça a nossa história e também a estratégia de crescimento no setor via aquisições. Utilizaremos a partir de agora toda nossa vasta experiência, o modelo de eficiência operacional e solidez financeira para intensificar os investimentos e gerar valor aos acionistas, consumidores, colaboradores e comunidades do entorno”, acrescentou Estrella.