Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula se encontra com CEO da montadora chinesa BYD nesta quinta-feira (13)

    Empresa negocia a compra do complexo fabril da Ford em Camaçari (BA), empreendimento que deve movimentar R$ 3 bilhões

    Empresa chinesa tem planos de montar no espaço hoje ocupado pelo complexo baiano da Ford uma linha de produção de carros híbridos e elétricos
    Empresa chinesa tem planos de montar no espaço hoje ocupado pelo complexo baiano da Ford uma linha de produção de carros híbridos e elétricos Divulgação

    da Reuters

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se encontrou com o presidente da montadora de veículos elétricos BYD em Xangai nesta quinta-feira (13). A reunião acontece em meio a discussões que já duram meses para a instalação de um complexo industrial do grupo chinês na Bahia.

    Wang Chuanfu é fundador do grupo que atualmente disputa a liderança global na produção de veículos elétricos com a norte-americana Tesla.

    Há meses, a BYD negocia a compra do complexo fabril da Ford em Camaçari (BA), num empreendimento que, se efetivado, vai consumir R$ 3 bilhões, segundo a companhia.

    A BYD já assinou um memorando de entendimento com o governo da Bahia, que afirma que o anúncio do investimento depende apenas do entendimento entre a montadora chinesa e a norte-americana que decidiu parar de produzir veículos no Brasil em 2021.

     

    Na reunião, acompanhada por ministros e governadores que estão na comitiva, o CEO da empresa falou sobre as políticas chinesas que permitiram o desenvolvimento, na China, de uma indústria de veículos elétricos, tanto de carros de passeio como de ônibus de transporte público.

    Procuradas, tanto BYD quanto Ford reafirmaram posicionamento de que seguem discutindo a fábrica em Camaçari e que não há prazo para a conclusão das negociações.

    O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), que visitou duas linhas de produção da BYD na China no último fim de semana, confirmou na terça-feira (11) a negociação do governo Lula com a montadora chinesa BYD para a retomada da antiga fábrica da Ford. Ele também participou do encontro desta quinta.

    A expectativa era que um acordo fosse fechado para a instalação da fábrica durante a visita do chefe do Executivo brasileiro ao país asiático.

    “Vem aí a retomada do desenvolvimento industrial do nosso Nordeste! O governo Lula negocia a instalação da montadora chinesa BYD, onde funcionava a antiga fábrica da Ford, em Camaçari. Lula vai visitar a China e dialogar sobre a instalação. Estamos na torcida!”, escreveu Rodrigues em publicação na sua conta oficial do Twitter.

    A planta de Camaçari foi desativada pela Ford no início de 2021, em meio ao encerramento das suas atividades produtivas no país.

    BYD no Brasil

    Atualmente, a BYD produz ônibus elétricos e painéis fotovoltaicos em Campinas (SP) e tem uma fábrica de baterias para veículos elétricos em Manaus. A companhia também tem dois projetos de monotrilho no Brasil, um em Salvador e outro em São Paulo.

    A empresa chinesa tem planos de montar no espaço hoje ocupado pelo complexo baiano da Ford uma linha de produção de carros híbridos e elétricos, uma de chassis de caminhões e ônibus elétricos e uma unidade de produção de componentes para baterias, que poderiam se beneficiar de incentivos tributários desfrutados por montadoras instaladas no Nordeste.

    Em dezembro, a presidente da BYD para as Américas, Stella Li, citou em entrevista à Reuters que entre fatores que atraem o interesse da empresa no Brasil estão o tamanho do mercado interno, disponibilidade de matéria-prima para baterias como lítio e um governo que aparenta estar mais aberto a incentivar o setor.

    No ano passado, quando a empresa anunciou o lançamento de novos modelos de carros elétricos, o diretor de sustentabilidade e marketing da BYD no Brasil, Adalberto Maluf, disse que o plano é elevar o número de concessionárias da BYD para 50 até julho de 2023, chegando a 100 no final do próximo ano. No momento da entrevista, eram 15 concessionárias da empresa no país.

    Isso dará uma cobertura de 85% do mercado nacional, segundo o executivo.

    O mercado de carros elétricos e híbridos no Brasil tem acelerado, mesmo sem uma política nacional clara de incentivo. Em 2022 até outubro, as vendas no segmento subiram 44% sobre mesmo período do ano passado, mesmo com os modelos mais baratos no mercado nacional custando mais de R$ 140 mil.

    *Com informações da Agência Estado