Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alemanha provavelmente está em recessão, diz BC

    Maior economia da Europa vem enfrentando dificuldades desde início da guerra na Ucrânia

    Bundesbank em Frankfurt, Alemanha
    Bundesbank em Frankfurt, Alemanha Divulgação Bundesbank/foto de Florian Singer e Walter Vorjohann

    Reuters

    É provável que a Alemanha esteja em recessão agora que a demanda externa está fraca, os consumidores continuam cautelosos e o investimento doméstico está retido pelos altos custos de empréstimos, disse o Bundesbank, banco central do país, em um relatório mensal publicado nesta segunda-feira (19).

    A Alemanha tem enfrentado dificuldades desde a invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022, que elevou os custos de energia, e sua vasta economia, com forte presença do setor industrial, está agora em seu quarto trimestre consecutivo de crescimento zero ou negativo, o que pesa sobre toda a zona do euro.

    “Ainda não há recuperação para a economia alemã”, disse o Bundesbank.

    “A produção pode diminuir ligeiramente de novo no primeiro trimestre de 2024. Com o segundo declínio consecutivo na produção econômica, a economia alemã estaria em uma recessão técnica.”

    Esse fraco desempenho levantou questões sobre a sustentabilidade do modelo econômico alemão e os críticos argumentam que grande parte de sua indústria pesada, que depende de energia, está sendo excluída dos mercados internacionais, o que justifica uma transformação econômica.

    O governo, no entanto, recuou em relação às projeções pessimistas, argumentando que se trata apenas de uma tempestade perfeita de altos custos de energia, fraca demanda chinesa e inflação rápida que temporariamente retém o crescimento, mas não questiona fundamentalmente a estratégia econômica.

    Por enquanto, a fraqueza persistirá, argumenta o banco central alemão.

    A demanda industrial externa está apresentando tendência de queda e a carteira de pedidos está diminuindo.

    As empresas também estão retendo os investimentos, em parte porque os custos de financiamento aumentaram acentuadamente desde que o Banco Central Europeu (BCE) elevou as taxas de juros a um nível recorde para combater a inflação, disse o Bundesbank.

    O alto crescimento dos salários nominais também está afetando as empresas e as greves em setores-chave, como o de transportes, também podem pesar sobre o crescimento no trimestre.

    A interrupção do transporte marítimo no Mar Vermelho, no entanto, não terá um impacto significativo porque há muita capacidade ociosa no transporte marítimo e porque os custos de frete são apenas uma pequena parte do custo geral das mercadorias, disse o Bundesbank.

    Embora a perspectiva seja fraca, o banco disse que não espera nenhuma deterioração importante no mercado de trabalho e que a Alemanha não está enfrentando uma recessão prolongada e de base ampla.

    “A fase fraca da economia alemã, que vem ocorrendo desde o início da guerra de agressão russa contra a Ucrânia, continuará, portanto”, acrescentou o banco.