Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Apesar de juros altos, uso de cartão de crédito cresce 50% em doze meses

    Além do aumento deste tipo de crédito, inadimplência e utilização de juro rotativo também apresentaram alta

    Juro rotativo do cartão de crédito, quando as dívidas feitas neste tipo de crédito não são pagas corretamente, apresentou alta de 23% em 2022
    Juro rotativo do cartão de crédito, quando as dívidas feitas neste tipo de crédito não são pagas corretamente, apresentou alta de 23% em 2022 rupixen.com/Unsplash

    Elis Barretoda CNN Brasília

    Mesmo com um aumento na taxa de juros, o saldo das transações por cartão de crédito cresceu 50,1% em 2022, aponta o Banco Central do Brasil (BCB). Segundo as estatísticas monetárias e de crédito do BCB, divulgadas nesta quarta-feira (27), em abril deste ano o valor de gastos com cartão de crédito dos brasileiros chegou a R$ 419,5 bilhões. Um aumento de 2% para o mês, em relação a março.

    Ainda segundo os dados, as modalidades à vista e parcelado apresentaram aumento de 2,8% e 19,9%, respectivamente, em 2022. Entretanto, o juro rotativo do cartão de crédito, quando as dívidas feitas neste tipo de crédito não são pagas corretamente, apresentou alta de 23% só neste ano.

    Segundo o economista e professor do IBMEC, Gilberto Braga, o uso do cartão de crédito e o não pagamento desse tipo de divida indica que os consumidores estão usando os cartões para pagar débitos e contas básicas.

    “Então isso acaba sendo uma maneira de você contrair dividas, e na população de baixa renda, diante da inflação elevada, é muito comum você contratar um novo crédito para pagar uma dívida velha, então isso pode estar ocorrendo, efetivamente.”, afirma o especialista.

    Segundo Braga, o fácil acesso aos cartões de crédito têm grande participação nesse aumento. Para ele, a concessão de cartão de crédito têm sido bastante facilitada devido à concorrência entre os novos bancos digitais e fintechs.

    Na coletiva de apresentação dos dados, o chefe do Departamento de Estatísticas do BCB, Fernando Rocha, destacou que o crescimento das taxas de juros para o mês abril foram principalmente nas transações para pessoa físicas. Para ele, o ciclo de aumento dos juros básicos gera o aumento observado.

    Ainda segundo Rocha, o crescimento do setor de serviço e comércio e a redução do desemprego estimulam o aumento do consumo. “Uma parcela desse consumo é feito no cartão de crédito à vista, e se transforma em crédito rotativo. Quando olhamos os dados mensais, as operações do crédito à vista em abril atingiram quase R$ 320 bilhões.”, destaca o coordenador.

    Seguindo a tendência do aumento do rotativo, o número de inadimplentes por cartão de crédito cresceu 1,3% só neste ano. Segundo o BCB, 39,5% das inadimplências relacionadas a cartão de crédito, são por juro rotativo.