Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Balança comercial brasileira tem superávit de US$ 6,5 bi em janeiro, recorde para o mês

    Desempenho representa aumento de 185,6% em relação ao saldo no mesmo mês de 2023

    A projeção é de que as exportações brasileiras este ano atinjam US$ 348,2 bilhões, um valor 2,5% superior ao visto em 2023
    A projeção é de que as exportações brasileiras este ano atinjam US$ 348,2 bilhões, um valor 2,5% superior ao visto em 2023 Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

    Por Fabricio de Castro, da Reuters

    A balança comercial brasileira acumulou superávit de US$ 6,527 bilhões em janeiro, conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados nesta quarta-feira (7), o que representa um aumento de 185,6% em relação ao saldo registrado no mesmo mês do ano passado.

    Este foi o maior saldo comercial para meses de janeiro desde o início a série histórica da secretaria, em 1989.

    O desempenho foi resultado de exportações de US$ 27,016 bilhões, contra importações de US$ 20,490 bilhões.

    A corrente de comércio – representada pela soma entre exportações e importações e comumente utilizada para se avaliar o grau de abertura de um país ao exterior – também foi recorde para meses de janeiro, no valor de US$ 47,506 bilhões.

    Pesquisa da Reuters com economistas apontava expectativa de saldo positivo de US$ 7,350 bilhões para janeiro.

    A Secex, ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), estima para 2024 um superávit comercial de US$ 94,4 bilhões, o que representaria um recuo de 4,5% em relação ao verificado no ano passado.

    A projeção é de que as exportações brasileiras este ano atinjam US$ 348,2 bilhões, um valor 2,5% superior ao visto em 2023, enquanto as importações devem somar US$ 253,8 bilhões, 5,4% acima do visto no ano passado. As projeções foram atualizadas em janeiro.

    Volumes e preços

    “Este mês de janeiro continua reproduzindo o padrão que a gente observou principalmente no segundo semestre do ano passado, com volume grande de exportação”, pontuou durante entrevista coletiva o diretor de Planejamento e Inteligência Comercial do MDIC, Herlon Brandão.

    “Já os preços das mercadorias continuam em queda, mas com redução menor que antes.”

    Os dados da Secex mostraram que no setor de Agropecuária o país exportou 42,3% a mais em volume em janeiro de 2024 ante o mesmo mês do ano passado. No entanto, como os preços das mercadorias exportadas caíram 13,9% no período, o crescimento das exportações agropecuárias, em valores, foi de 21,0%, para US$ 4,3 bilhões.

    “Observamos aqui sobretudo o crescimento da exportação de soja”, disse Brandão.

    Na Indústria Extrativa, o crescimento das exportações em valores foi de 53,3% em janeiro ante o mesmo mês de 2023, para US$ 8,2 bilhões. Na Indústria de Transformação, a alta foi de 4,6%, para US$ 14,4 bilhões.

    “Na importação, o volume também vem se acelerando desde o segundo semestre do ano passado. Mas com a queda dos preços, houve leve redução em relação a janeiro do ano passado”, afirmou Brandão.

    Os dados da Secex mostram que o volume de produtos importados cresceu 13% em janeiro ante o mesmo mês de 2023. Mas como os preços das mercadorias caíram 12,6% no período, o valor importado apresentou leve queda de 0,1%, para US$ 20,5 bilhões.