Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Bancos veem condições de crédito mais favoráveis neste trimestre, mostra BC

    Cenário positivo ocorre em meio ao ciclo de queda da taxa básica de juros

    De acordo com a Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito, deve ser observada tendência positiva nos financiamentos voltados ao consumo de pessoas físicas
    De acordo com a Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito, deve ser observada tendência positiva nos financiamentos voltados ao consumo de pessoas físicas 23/09/2015 - REUTERS/Ueslei Marcelino

    da Reuters

    As condições de crédito no Brasil ficaram mais favoráveis no encerramento de 2023 e devem seguir em trajetória de melhora na maior parte dos segmentos neste trimestre, mostrou nesta quinta-feira pesquisa do Banco Central (BC) com instituições financeiras consultadas em janeiro.

    A melhora na percepção ocorre em meio ao ciclo de queda da taxa básica de juros pelo Banco Central, atualmente em 11,25% ao ano, e da continuidade do programa Desenrola Brasil, que renegociou até o momento R$ 35 bilhões em dívidas de brasileiros com bancos e outros credores.

    De acordo com a Pesquisa Trimestral de Condições de Crédito, deve ser observada tendência positiva nos financiamentos voltados ao consumo de pessoas físicas, “principalmente em decorrência da melhora na percepção sobre o nível de comprometimento de renda do consumidor, o nível de emprego e condições salariais, a inadimplência e a tolerância ao risco”.

    Na avaliação das instituições consultadas, também deve haver queda na inadimplência neste trimestre em relação ao fim de 2023. Em dezembro, a inadimplência nos financiamentos livremente pactuados entre bancos e tomadores estava em 4,7%, contra 4,8% em novembro.

    A pesquisa do BC destacou que os bancos veem uma “melhora generalizada” nos fatores que impactam condições de crédito para grandes empresas, com destaque para as condições da economia e a competição entre instituições financeiras. Também é esperada continuidade da melhora nos segmentos de micro, pequenas e médias empresas.

    No crédito habitacional, as expectativas são menos otimistas, com projeções apontando para que o funding dessas linhas de financiamento seja um fator “bastante negativo” neste trimestre.

    A pesquisa ouviu 18 instituições que atuam no segmento de consumo da pessoa física, 7 do crédito habitacional, 21 com participação em financiamentos para grandes empresas e 29 para micro, pequenas e médias companhias.