Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    BC do Japão pode aumentar juros em julho, diz presidente da instituição

    Decisão aumentou a incerteza sobre se o banco central também poderia aumentar as taxas de curto prazo em sua reunião de 30 e 31 de julho ou se adiaria o movimento até o final do ano

    Sede do Banco do Japão em Tóquio
    Sede do Banco do Japão em Tóquio 20/09/2023. REUTERS/Issei Kato/File Photo

    Reuters

    O presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda, disse que o banco central pode aumentar a taxa de juros no próximo mês dependendo dos dados econômicos disponíveis na ocasião, e ressaltou sua determinação de elevar constantemente os custos de empréstimos dos atuais níveis próximos de zero.

    Embora o aumento dos custos de importação decorrente de um iene fraco possa pesar sobre os gastos das famílias, a elevação dos salários sustentará o consumo e manterá a economia no rumo de uma recuperação moderada, disse Ueda ao Parlamento nesta terça-feira (18).

    “Nossa decisão sobre a redução da compra de títulos e o aumento da taxa de juros são duas coisas diferentes”, disse Ueda.

    “Há uma chance de aumentarmos a taxa de juros em nossa próxima reunião, dependendo de dados econômicos, de preços e financeiros e das informações disponíveis no momento.”

    Em sua reunião de política monetária na sexta-feira (14), o Banco do Japão decidiu começar a reduzir suas enormes compras de títulos e anunciar um plano detalhado em julho sobre a redução de seu balanço patrimonial de quase US$ 5 trilhões, dando mais um passo para desfazer seu enorme estímulo monetário.

    A decisão aumentou a incerteza sobre se o banco central também poderia aumentar as taxas de curto prazo em sua reunião de 30 e 31 de julho ou se adiaria o movimento até o final do ano para evitar perturbar os mercados.

    Ueda disse que o Banco do Japão ainda não está totalmente convencido de que a inflação atingirá de forma sustentável sua meta de 2%, enfatizando a necessidade de gastar “um pouco mais de tempo” para examinar os dados antes de aumentar as taxas novamente.