Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    BC não vê riscos relevantes para estabilidade financeira apesar de incertezas

    Segundo autarquia, mercado financeiro também percebe melhora na economia e no sistema financeiro nacional

    Prédio do Banco Central em Brasília
    Prédio do Banco Central em Brasília 20/03/2020 - REUTERS/Adriano Machado

    de Reuters

    O Banco Central disse nesta terça-feira (30) que não vê riscos relevantes para a estabilidade financeira e acrescentou que o mercado também percebe um sistema financeiro e uma economia resilientes, apesar da incerteza internacional e de preocupações fiscais domésticas.

    O sistema financeiro nacional (SFN) “permanece com capitalização e liquidez confortáveis e provisões adequadas ao nível de perdas esperadas”, disse o BC em seu Relatório de Estabilidade Financeira.

    “Além disso, os testes de estresse de capital e de liquidez demonstram a robustez do sistema bancário.”

    Assim como o BC, o mercado financeiro também percebe melhora na economia e um SFN resiliente, afirmou a autarquia.

    “Não obstante às preocupações com o cenário internacional e com o risco fiscal, os agentes do mercado financeiro relataram melhora na percepção dos ciclos econômico e financeiro e fortaleceram a percepção de tendência de alta na disposição para tomar riscos. A confiança na estabilidade do SFN segue elevada, próxima à máxima histórica.”

    Entre os riscos remanescentes, a autarquia citou um ambiente externo volátil em meio a debates sobre o início do afrouxamento monetário nas principais economias, afirmando que esse cenário impõe cautela a bancos centrais de países emergentes.

    Segundo o Banco Central, o financiamento à economia real permaneceu desacelerando, mas o afrouxamento da política monetária e a melhora na percepção do risco começam a dar sinais positivos para o setor de crédito, principalmente no crédito às empresas de menor porte e no crédito bancário para grandes empresas.

    A autoridade monetária citou estabilização no apetite por risco das instituições financeiras (IFs) na concessão de crédito, que antes vinha caindo, afirmando que essa recuperação veio em linha com a melhora na economia.

    “No entanto, o ambiente continua demandando atenção. Considerando os riscos relacionados à atividade econômica, ao comprometimento de renda e ao endividamento das famílias ainda elevados, e à pressão sobre a capacidade de pagamento das empresas de menor porte, o ambiente continua demandando preservação da qualidade das concessões”, disse o BC no relatório.

    Num geral, o BC avaliou que o sistema financeiro continua bem provisionado para perdas estimadas com crédito.

    Enquanto isso, após dois semestres em declínio, a rentabilidade do sistema bancário apresentou tímida recuperação, com perspectiva positiva para 2024, disse a autarquia, citando estabilização das despesas com provisões e queda da taxa Selic – atualmente em 10,75%.

    “A rentabilidade pode se beneficiar também do processo de desinflação, que diminui as pressões sobre os custos operacionais”, completou o BC.

    O Banco Central afirmou ainda que o sistema bancário elevou o colchão de liquidez, que permanece confortável para manter a estabilidade financeira.

    Também foi citada no relatório maior preocupação das instituições financeiras com potenciais efeitos dos riscos climáticos sobre o sistema financeiro.