Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    BNDES leva prêmio internacional por gestão de títulos de dívida

    Banco coordenou negociação de aproximadamente R$ 18 bilhões, 70% certificados sustentáveis

    Edifício sede do BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, no Centro do Rio
    Edifício sede do BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, no Centro do Rio Fernando Frazão/Agência Brasil

    Thiago Félixda CNN

    São Paulo

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) recebeu prêmio internacional como melhor coordenador de ofertas de debêntures, ou seja, títulos de dívidas.

    A premiação é organizada pelo Project Finance and Infrastructure Journal (IJ Global), que valoriza instituições com projetos de infraestrutura e energia mais inovadores. A estatal foi reconhecida por atuação exemplar no ano passado, criando série de ofertas de debêntures, com emissão de títulos a longo prazo.

    Os projetos apoiados pelo banco em 2023 incluíram: saneamento no Rio de Janeiro e no Amapá, rodovias, expansão de uma nova rede de aeroportos nas regiões Sul e central do Brasil, além de melhorias na rede ferroviária do país.

    As negociações envolveram aproximadamente 18 bilhões de reais, com 70% dos títulos estruturados no ano, certificados como sustentáveis.

    “Conseguimos impulsionar projetos sem depender de garantias corporativas ou bancárias, em um ano desafiador para o mercado de renda fixa do Brasil. O BNDES mostrou mais uma vez sua excelência e expertise singular para o desenvolvimento que o país tanto precisa”, disse a diretora de Infraestrutura e Mudança Climática do BNDES, Luciana Costa.

     

    Em agosto de 2023, BNDES negociou R$ 1,9 bi em debêntures de infraestrutura na oferta pública de R$ 5,5 bilhões, realizada pelas concessionárias Águas do Rio 1 e Águas do Rio 4.

    Foi a maior oferta de debêntures incentivadas de infraestrutura da história do mercado brasileiro e a coordenação e ancoragem do banco na emissão atraiu investidores e contribuiu para redução das taxas finais das debêntures. Com o selo sustentável e com impactos sociais para a população, 10 milhões de pessoas beneficiadas, de 26 municípios fluminenses, além de Zona Sul, Zona Norte e Centro do Rio.

    O banco também apoiou com R$ 4,6 bilhões, melhorias nas linhas 8 e 9 da CPTM de São Paulo, sendo R$ 2,5 bilhões via debêntures sustentáveis. O financiamento vai beneficiar passageiros que usam o serviço diariamente com aumento de velocidade e redução do intervalo das composições.