Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Bolsas da Europa fecham em alta, com perspectivas de menor aperto por BCs

    Índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 1,19%, a 462,07 pontos

    FTSE 100 subiu 0,80% em Londres, a 7.531,53 pontos
    FTSE 100 subiu 0,80% em Londres, a 7.531,53 pontos Reuters

    Matheus Andrade, especial para a AE, do Estadão Conteúdo

    As bolsas da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira (30) em uma sessão na qual índices de inflação apresentaram desaceleração na alta dos preços, o que impulsionou perspectivas de menor aperto monetário por parte dos bancos centrais. Dados na Europa e nos Estados Unidos corroboraram a visão, que vem em um momento no qual declarações de dirigentes nos últimos dias vinham sugerindo maiores altas de juros.

    O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 1,19%, a 462,07 pontos.

    As ações europeias estão terminando a semana em alta, impulsionadas por outro relatório de inflação encorajador que em breve apoiará o fim do ciclo de aperto do Banco Central Europeu (BCE), avalia o analista da Oanda Craig Erlam.

    Pesquisa da Eurostat mostrou que a taxa anual do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro desacelerou para 5,5% em junho, ante 6,1% em maio. O núcleo do CPI, porém ganhou leve força no mesmo período, passando de 5,3% para 5,4%.

    Não só a taxa nominal do CPI caiu mais do que o esperado, como também a ligeira recuperação no nível central – impulsionada em grande parte por efeitos de base desfavoráveis, em grande parte atribuídos aos subsídios alemães aos transportes no ano passado – foi menor do que o esperado, dia Erlam.

    Os dirigentes do BCE não serão complacentes com base nos dados desta sexta, mas com a expectativa de que a inflação caia ainda mais nos próximos meses, núcleo incluído no final do terceiro trimestre, e aí podemos ver uma pausa nos aumentos das taxas de juros antes do quarto trimestre, afirma o analista.

    “Isso pode permitir o pouso suave que os formuladores de políticas esperavam, com recessões muito superficiais um pequeno custo a pagar pela estabilidade de preços”, conclui.

    Ainda nesta sexta, o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) dos EUA avançou 0,1% em maio ante abril, em linha com a projeção de analistas consultados pela FactSet.

    Neste cenário, o FTSE 100 subiu 0,80% em Londres, a 7.531,53 pontos. O DAX avançou 1,26%, a 16.147,90 pontos, em Frankfurt.

    Em Paris, o CAC 40 teve alta de 1,19%, a 7.400,06 pontos. Em Milão, o FTSE MIB subiu 1,08%, a 28.230,83 pontos.

    Em Madri, o IBEX 35 teve alta de 0,99%, a 9.605,00 pontos. E o PSI 20 avançou 0,35%, a 5.920,31 pontos, em Lisboa.