Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chambriard vai manter Petrobras sob gestão de credibilidade a investidores, diz Silveira

    Ministro falou durante reunião do G20, em Belo Horizonte

    O ministro Silveira
    O ministro Silveira 21/03/2024REUTERS/Callaghan O'Hare

    Daniela Mallmannda CNN

    Belo Horizonte

    O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse nesta segunda-feira (27) que está otimista com a gestão da Magda Chambriard à frente da Petrobras e que o trabalho da nova presidente passará credibilidade aos investidores.

    “Muitos fatores me levam a estar muito otimista com a gestão da Magda à frente da Petrobras. Ela acompanhou por um ano e quatro meses um debate profundo do ministro de Minas e Energia com a Petrobras sobre a agenda nacional. A agenda não é do ministro, é do Brasil. Ela conhece a agenda e vai fazer com esse espírito de manter a empresa sob uma gestão que dê credibilidade para investidores”, disse o ministro durante reunião do G20, em Belo Horizonte.

    Ex-diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Chambriard foi eleita para a presidência da companhia na última sexta-feira (24).

    Silveira ainda afirmou à imprensa que o governo é quem deve definir os rumos da Petrobras e citou também a Mineradora Vale para exemplificar a situação.

    “A Vale é uma corporation, onde o governo não é controlador. Mesmo assim, somos formadores de políticas e somos reguladores do setor mineral. Nós podemos cobrar mineração sustentável e segura. Podemos não, devemos. Agora, a Petrobras nós podemos muito mais do que isso. Somos controladores e não podemos nos envergonhar disso”, afirmou o ministro.

    Lembrando que Jean Paul Prates, o ex-presidente da Petrobras, teve conflitos com integrantes do governo Lula e com o próprio Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. Um dos motivos das rusgas foi em relação aos dividendos extras da estatal. Enquanto Prates era a favor da distribuição do valor a acionistas, o governo defendia o oposto.