Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com alta no custo de vida no Reino Unido, pacote de férias promocional esgota em 24h

    Com ele, poderiam economizar mais de 200 libras e viajar para o Egito com tudo incluso

    Por pessoa, viagem custa 650 libras e incluí voos de ida e volta, bagagem despachada e acomodações em hotéis cinco estrelas
    Por pessoa, viagem custa 650 libras e incluí voos de ida e volta, bagagem despachada e acomodações em hotéis cinco estrelas Samir Hussein/WireImage

    Anna Coobando CNN Business

    Londres

    Um pacote de férias de inverno que alegava que poderia economizar aos britânicos mais de 200 libras (US$ 229) em suas contas crescentes de aluguel, comida e combustível esgotaram em 24 horas nesta semana.

    A agência EasyJet Holidays, de propriedade da companhia aérea britânica de baixo custo EasyJet, lançou seu pacote de férias de 28 dias “Escape the UK” para Hurghada, Egito, na segunda-feira (24), apresentando-o aos consumidores que trabalham remotamente. A empresa disse nesta terça-feira (25) que esgotou, mas não falou quantos viajantes reservaram a viagem.

    As férias com tudo incluído, que começam no início de janeiro, custam 650 libras (US$ 736) por pessoa e incluem voos de ida e volta, bagagem despachada, acomodações em hotéis cinco estrelas, todas as refeições, lanches, bebidas sem fundo, wi-fi e transporte para o aeroporto.

    Segundo os cálculos da empresa, baseados em dados do Escritório de Estatísticas Nacionais e do site de imóveis Rightmove, o gasto médio de 28 dias com custo de vida para uma pessoa no Reino Unido é de 877 libras. Esse número inclui pagamentos de aluguel, contas de serviços públicos, internet, alimentação, viagens e assinaturas de streaming.

    Os custos médios de aluguel foram considerados no cálculo, em vez dos custos de hipoteca, porque são “mais diretamente comparáveis ​​a ficar em um hotel”, disse um porta-voz da empresa ao CNN Business.

    “Sem contas de combustível, custos de gasolina ou contas de supermercado para pagar, o feriado sai 227 libras (US$ 257) mais barato por pessoa do que ficar no Reino Unido”, conta EasyJet Holidays em seu comunicado de imprensa.

    Segundo os dados mais recentes do ONS revisados ​​pela CNN, uma família padrão gastou 1.926 libras (US$ 2.180) por mês entre abril de 2020 e março de 2021.

    Quando dividido por 2,3 – o número médio de pessoas por família – os custos mensais chegam a 837 libras (US$ 947) por pessoa, quase 190 libras (US$ 215) mais caro do que o pacote de férias da EasyJet.

    O custo do aluguel, alimentação e energia vem disparando desde março de 2021, mergulhando milhões de famílias na pior crise de custo de vida em décadas. No mês passado, a inflação de preços ao consumidor voltou ao nível de julho de 10,1%, sua taxa mais alta em 40 anos.

    Dados da Rightmove mostraram que os preços nacionais de aluguel – excluindo os de Londres – saltaram 11% no último trimestre em relação ao ano anterior.

    Os britânicos também estão lutando para manter as luzes acesas, pois suas contas de energia dispararam. A conta anual média para residências aumentou 96% em relação a outubro passado, atingindo 2.500 libras (US$ 2.830) este mês.

    A EasyJet Holidays disse que levou em consideração o custo médio por pessoa das contas de gás e eletricidade neste inverno em seu cálculo, que chegou a 68 libras (US$ 77) em um período de 28 dias.

    Mas os britânicos que reservaram o pacote de férias não necessariamente economizarão dinheiro, disse Sarah Coles, analista de finanças pessoais da Hargreaves Lansdown, ao CNN Business.

    “Os custos de moradia são muitas vezes os maiores gastos e, infelizmente, sua empresa de hipotecas ou o dono do imóvel não vai deixar você descontar seu pagamento naquele mês só porque você decidiu sair de férias”, falou.

    Coles acrescentou que as contas de energia domésticas incluem uma cobrança permanente, que deve ser paga mesmo que nenhuma energia seja usada. Também não é possível simplesmente deixar de pagar internet, alguns serviços de TV e impostos locais por um mês.

    “Os aspectos práticos disso realmente não funcionam”, disse.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original