Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo anuncia crédito subsidiado a empresas do RS e suspenderá impostos por 3 meses

    Foi anunciado um pacote de 12 medidas que somam R$ 50,9 bilhões para atender as demandas do Rio Grande do Sul

    Sobrevoo em Canoas, Canoas - RS.
    Sobrevoo em Canoas, Canoas - RS. Foto: Ricardo Stuckert / PR

    Danilo Moliternoda CNN

    O Ministério da Fazenda anunciou nesta quinta-feira (9) uma série de ações voltadas a socorrer as empresas do Rio Grande do Sul. O pacote, que constará em medida provisória (MP), inclui a concessão de crédito subsidiado e a prorrogação por três meses do recolhimento de tributos federais e Simples Nacional.

    A primeira medida é um aporte do governo de R$ 4,5 bilhões no Fundo Garantidor de Operações (FGO), a fim de alavancar a concessão de R$ 30 bilhões em crédito às microempresas e empresas de pequeno porte no âmbito do Programa Nacional de Apoio a Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

    A ideia é de que seja alocado R$ 1 bilhão para subsidiar descontos nos juros de créditos garantidos pelo Pronampe. O objetivo é reduzir a taxa para 4% nominal, mas foi estabelecido que no máximo R$ 2,5 bilhões dos R$ 30 bilhões alavancados vão por ser concedidos com desconto.

    Segundo o Ministério, tanto a alavancagem do crédito quanto a concessão do subsídio acontecem já em maio. O crédito com subvenção terá financiamento de até 72 meses, com 24 meses de carência.

    Também haverá crédito subsidiado para produtores rurais. Serão aportados R$ 1 bilhão para descontar juros em empréstimos concedidos no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e no Pronamp.

    Neste caso, o limite global de crédito com desconto de juros será de R$ 4 bilhões. Ou seja, toda a linha a ser alavancada terá desconto.

    Serão ainda colocados R$ 500 milhões no Fundo Garantidor de Investimentos (FGI) para alavancagem, a fim de alavancar até R$ 5 bilhões no Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (FGI-PEAC). Serão atendidos microempresários Individuais, micro, pequenas e médias empresas.

    Quanto ao recolhimento dos tributos federais e Simples, os vencimentos vão ser prorrogados por no mínimo três meses (abril, maio e junho). A medida vai beneficiar 203 mil empresas e custar cerca de R$ 4,8 bilhões.

    Outra medida é a suspensão para empresas e produtores rurais de apresentação de certidão negativa de débito para contratações e renegociações de crédito junto a instituições financeiras públicas.

    O pacote, que contém 12 medidas, soma R$ 50,9 bilhões para atender as demandas do Rio Grande do Sul.