Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Haddad diz que governo vai agir para tornar aviação regional “parte do dia a dia do brasileiro”

    Ministro afirmou necessidade de mais serviços aéreos, que auxiliam a Embraer

    “Se a gente não entende que o Brasil precisa de mais serviços aéreos, a gente vai ficar para trás”, acrescentou o ministro
    “Se a gente não entende que o Brasil precisa de mais serviços aéreos, a gente vai ficar para trás”, acrescentou o ministro Unsplash

    Reuters

    O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta sexta-feira (26) que a reforma tributária já prevê forte estímulo à aviação regional, mas indicou que o governo ainda encaminhará ao Congresso sugestões para permitir que o setor possa fazer parte do “dia a dia do brasileiro”.

    Ao acompanhar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em visita à fábrica da Embraer, em São José dos Campos (SP), Haddad disse que o Brasil precisa de mais serviços aéreos e que “ajudar a aviação regional é ajudar a Embraer”.

     

    Segundo Haddad, em reunião com executivos da Embraer e da Azul nesta tarde, foi discutido se o projeto de lei complementar de regulamentação da reforma tributária sobre o consumo, encaminhado ao Congresso nesta semana, merecia algum “ajuste”, e sua conclusão foi que sim.

    “Vamos fazer chegar ao Congresso as sugestões para que a aviação regional, que tem alíquota diferenciada na emenda constitucional, e portanto tem um estímulo adicional, possa passar a fazer parte do dia a dia do brasileiro”, disse Haddad em discurso.

    “Se a gente não entende que o Brasil precisa de mais serviços aéreos, a gente vai ficar para trás”, acrescentou o ministro, ao sublinhar que o país tem dimensões continentais com forte procura por voos também fora das capitais.