Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Indústria avançou em faturamento, horas trabalhadas e utilização da capacidade em abril, aponta CNI

    Em relação a abril do ano passado, a alta das vendas foi de 12,2%

    Linha de montagem de brinquedos
    Linha de montagem de brinquedos 07/02/2017REUTERS/Jorge Adorno

    Estadão Conteúdo

    O desempenho das fábricas brasileiras foi positivo em abril, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

    Os Indicadores Industriais divulgados nesta terça-feira (11) mostram que houve avanços nos índices de faturamento real, horas trabalhadas na produção e utilização da capacidade instalada no setor.

    “O mercado de trabalho aquecido, com avanço do rendimento, a melhora do ambiente de crédito e a inflação moderada favorecem o poder de compra da população e, consequentemente, o consumo de bens industriais.

    Mesmo os indicadores que recuaram no mês apresentam aumento quando comparados com o ano passado, mostrando que a situação da Indústria de transformação é mais favorável em relação a 2023”, avaliou a economista da CNI Larissa Nocko, em nota.

    Na comparação com março, o faturamento real da indústria cresceu 1,5%, já desconsiderados os efeitos sazonais.

    Em relação a abril do ano passado, a alta das vendas foi de 12,2%.

    Considerando os quatro primeiros meses do ano, o indicador aumentou 2,4% contra o mesmo período de 2023.

    Da mesma forma, as horas trabalhadas na produção cresceram 2,4% ante março, na série dessazonalizada.

    Na comparação com abril de 2023, a alta foi de 8,2%. No primeiro quadrimestre, o crescimento foi de 2,9%.

    A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) no setor ficou em 79,2% em abril, com avanço de 0,5 ponto porcentual em relação a março.

    Na comparação com o mesmo mês de 2023, a melhora foi de 1,3 pp.

    Já o emprego na indústria registrou leve recuo de 0,3% em abril, na série com ajuste sazonal.

    Ainda assim, as vagas cresceram 1,4% na comparação com o mesmo mês de 2023.

    Na comparação dos primeiros quatro meses de cada ano, o avanço foi de 1,3%.

    “A massa salarial (-2,8%) e o rendimento médio (-2,5%) recuaram em abril, devolvendo parte do avanço registrado em março, quando o pagamento de verbas rescisórias decorrentes do fechamento de uma fábrica no Estado de São Paulo exerceu influência positiva sobre os números do mês”, completou a CNI, no documento.