Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Preços da gasolina devem continuar tendência de queda, diz ex-presidente do IBP

    Na sexta-feira (2), o valor da gasolina nas bombas dos postos de todo o país apresentou nova diminuição pela décima semana consecutiva

    Layane Serranoda CNN em São Paulo

    Em entrevista à CNN, neste domingo (4), o ex-presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) Eberaldo Almeida afirmou que os preços da gasolina devem seguir a tendência de queda. Segundo o especialista, a diminuição na demanda pelo combustível nos Estados Unidos é um dos principais fatores que explicam o movimento.

    “No caso da gasolina, se nada de extraordinário acontecer, a tendência é que [o preço] continue baixando. O que a gente vê daqui para frente é, de fato, uma redução na demanda. Ou seja, a demanda tem sido um grande fator para sinalizar preço, mais do que a oferta”.

    Pela décima semana consecutiva, o valor da gasolina nas bombas dos postos de todo o país apresentou nova diminuição. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgados na sexta-feira (2), o preço médio do combustível caiu de R$ 5,25 para R$ 5,17, uma diminuição de 1,5%. A última vez que o preço da gasolina esteve nesse patamar foi na última semana de fevereiro de 2021.

     

    Almeida detalhou que a guerra na Ucrânia e a inflação nos EUA fez com que as famílias norte-americanas economizassem, resultando em uma demanda menor do combustível e, consequentemente, um maior estoque, reduzindo o preço.

    “Já se espera uma normalização no mercado americano. Ou seja, aquele pico não houve, isso reflete em uma sobra no combustível e uma queda de preço. E o que o Brasil está fazendo é acompanhar o preço no mercado internacional”, afirmou.

    Veja mais no vídeo acima.