Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Relator da Reforma Tributária cita “boicote” após Comissão adiar votação pela 4ª vez

    Senador Roberto Rocha (PTB/MA) lamentou que a comissão obteve quórum mínimo para abertura dos trabalhos, mas um senador retirou a presença, o que inviabilizou a votação

    Gabrielle Varellada CNN

    em Brasília

    A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou, pela quarta vez a votação do relatório da Proposta de Emenda à Constituição que trata da reforma tributária nesta terça-feira (31). O relator, senador Roberto Rocha (PTB/MA), afirmou que houve boicote dos parlamentares para não dar andamento na votação da proposta.

    Rocha lamentou o momento que a comissão obteve quórum mínimo para abertura dos trabalhos e um senador retirou a presença, o que inviabilizou a votação nesta terça-feira. O número mínimo de senadores para realização da reunião é de 14 senadores.

    “Agora, eu não entendo por que que há um boicote para não votar, hoje conseguimos alcançar quatorze deputados, ou seja, o quórum necessário pra votar, para abrir a sessão. Mas aí, conseguiram tirar uma presença, aí caiu a sessão mais uma vez. Eu só lamento”, afirmou.

    Senadores contrários à reforma tributária têm feito pressão para que não seja analisado o relatório, uma vez que há um movimento de setores de serviços e comércio, que se sentem prejudicados com o texto apresentado por Roberto Rocha.

    Contudo, foram apresentadas mais de 200 emendas e algumas foram recebidas e levando a proposta ao plenário do Senado também pode receber novas sugestões.

    O senador do Maranhão afirmou ainda, em coletiva para a imprensa, que se dedicou ao longo de três anos na proposta e ainda poderia fazer ajustes no texto. Mas já pensa em sair da Comissão.

    “É claro que ia ser feitos os ajustes necessários. Então eu só lamento porque agora alguém vai ter que assumir essa relatoria. Porque eu não posso ficar dedicando todo o esforço do meu mandato, a uma matéria em que vários senadores manifestam claramente o interesse de não votar. Eu vou pensar seriamente em retirar da CCJ, porque isso é uma afronta ao povo brasileiro”, completou Rocha

    Agora, há expectativa do presidente da CCJ, senador Davi Alcolumbre (Uniao/AP), convocar nova reunião para esta quarta (01/06) e incluir na pauta a PEC 110.