Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Relator descarta “fatiamento” da reforma tributária e quer promulgação completa este ano

    Deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) disse que vai se reunir com líderes e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) para definir o rito de tramitação e calendário de votação da medida

    Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) disse que fatiamento da proposta ensejaria uma insegurança jurídica
    Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) disse que fatiamento da proposta ensejaria uma insegurança jurídica Vinicius Loures / Câmara dos Deputados Fonte: Agência Câmara de Notícias

    Reuters Brasília

    O relator da reforma tributária na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), descartou nesta quarta-feira (22) a possibilidade de uma promulgação fatiada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma tributária.

    Para ele, um fatiamento da proposta ensejaria uma insegurança jurídica e deixaria inacabada a discussão sobre alguns temas abordados pela proposta.

    “Essa palavra ‘fatiamento’, vamos descartar essa palavra”, disse o deputado a jornalistas.

    “Esse fatiamento que as pessoas ventilam significa dizer o seguinte, que daquilo que eu não concordo eu devolvo para o Senado, na forma de uma outra PEC — na verdade teria que ser uma outra PEC — e aí nós teríamos assuntos perdidos, que não estão sendo tratados agora na reforma. Eu acho que isso ninguém quer”, explicou.

    Aguinaldo afirmou que está finalizando a análise do texto da reforma aprovado pelo Senado para, na segunda-feira (4), em reunião com líderes e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), definir o rito de tramitação da PEC e seu calendário de votação.

    O deputado garantiu que a intenção é promulgar uma reforma “completa” ainda neste ano.

    Veja também: Lula decide manter aliada em vice-presidência da Caixa