Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Distribuidora responsável por 30% do gás de cozinha do RS fecha unidade após chuvas

    Operação da Copa Energia em Canoas (RS) está interditada após inundação

    Companhia diz que realiza força-tarefa para atender demanda
    Companhia diz que realiza força-tarefa para atender demanda Pedro Ventura/Agência Brasil

    João Nakamurada CNN São Paulo

    A Copa Energia, dona da Liquigás, teve de interditar o centro operativo da cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul. Os moradores do município seguem ilhados e mais de 50 mil pessoas estão em áreas de risco.

    A empresa afirma que é responsável por mais de 30% do abastecimento do gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha) do estado.

    Em nota, a Copa Energia informa que as operações de Pelotas, Passo Fundo, Santa Maria e de municípios de outros estados seguem ativas para tentar suprir a demanda.

    “A companhia está realizando uma força-tarefa para entregar GLP à população do estado”, disse.

    A empresa reforça que neste momento a prioridade é a segurança e o bem-estar dos colaboradores.

    Além da operação da Copa Energia, a refinaria Alberto Pasqualini (Refap), da Petrobras, também enfrenta dificuldades para escoar combustíveis devido a problemas logísticos decorrentes das enchentes.

    Em nota publicada na segunda-feira (6), o Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) afirmou que a refinaria – que tem capacidade para processar 32 mil m³/dia de petróleo – estava operando em carga mínima, com retirada de produtos, como diesel e gasolina, abaixo do normal.

    As retiradas de gás liquefeito de petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha, estavam perto de “zero”.

    Catástrofe climática

    As chuvas que atingem o Rio Grande do Sul desde o dia 29 de abril colocaram cerca de 78% do estado debaixo d’água.

    Nesta terça-feira, o Rio Grande do Sul contabilizava 95 mortes em decorrência da tempestade iniciada em 29 de abril.

    Ao todo, 131 pessoas estão desaparecidas e 362 estão feridas.

    Segundo o governo estadual, 1.408.993 pessoas foram afetadas em 397 municípios. Já são 156.056 desalojados e 48.297 em abrigos.