Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saldo de crédito deve crescer 8,6% em abril, diz Febraban

    Expansão da carteira deve ser puxada pelo crédito direcionado, que deve crescer 12,4%; comparações são com abril de 2023

    Para o crédito livre, a expectativa é de alta de 6% em um ano, e de estabilidade no comparativo mensal.
    Para o crédito livre, a expectativa é de alta de 6% em um ano, e de estabilidade no comparativo mensal. José Cruz/Agência Brasil

    Agência Estado

    Matheus Piovesana, do Estadão Conteúdo

    A carteira de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) deve registrar crescimento de 8,6% em abril na comparação com o mesmo mês de 2023, de acordo com pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

    Se confirmado, o número representará uma aceleração frente à expansão de 8,3% do mês anterior. Em relação a março, o crescimento deve ser de 0,3%.

    Tanto em base anual quanto na margem, a expansão da carteira deve ser puxada pelo crédito direcionado, que deve crescer 12,4% em relação a abril de 2023, e 0,8% ante março deste ano. Para o crédito livre, a expectativa é de alta de 6% em um ano, e de estabilidade no comparativo mensal.

    De modo geral, a carteira para pessoas físicas deve apresentar melhor desempenho, com alta de 10,6% em um ano e de 0,7% em três meses, ambas puxadas pelas linhas direcionadas (+13,3% e +0,9%, respectivamente). O crédito para pessoas jurídicas deve crescer 5,7% em um ano, mas recuar 0,4% no intervalo de três meses.

    A Febraban espera que o desempenho da carteira PJ seja influenciado negativamente pelas linhas com recursos livres, afetadas pela sazonalidade negativa de linhas de fluxo de caixa e por um desempenho ainda fraco da linha mais representativa, a de capital de giro, que é bastante sensível aos patamares de juros.

    De modo geral, a entidade vê os números como positivos.

    “Os números da pesquisa de abril continuam apontando para um horizonte mais promissor para o crédito em 2024. Assim, as projeções para o crescimento do crédito neste ano devem seguir sendo revisadas para cima, alinhando-se com as perspectivas mais positivas para o desempenho da economia”, diz em nota o diretor de Economia, Regulação Prudencial e Riscos da Febraban, Rubens Sardenberg.

    De acordo com ele, a queda dos juros e da inadimplência tem ampliado a oferta de crédito pelos bancos.

    “A dúvida, agora, é se a piora recente no cenário macro, explicitada na última reunião do Copom, vai ou não inibir, ainda que parcialmente, esta trajetória de retomada do crédito.”

    A Febraban projeta ainda que as concessões de crédito cairão 0,5% em abril na comparação com março, mas que mantenham alta de 7,8% no comparativo anual.

    Em base mensal, a maior queda, de 1,6%, deve ser em linhas direcionadas (-1,6%), que no comparativo anual devem crescer 8,6%.

    Em termos mensais e anuais, as concessões devem ter melhor desempenho nas linhas para pessoas físicas, com altas de 4,4% e de 9,9%, respectivamente.

    A pesquisa da Febraban foi feita com os maiores bancos do País, e é divulgada todos os meses como uma espécie de prévia da nota de crédito do Banco Central.